(◡‿◡✿) Capítulo 2.

Dona Eulália entrou sorridente como sempre na cozinha, acompanhada de Marcela, ambas estavam ansiosas pelo café, sem querer gabar ninguém, mas já gabando, elas achavam o cafezinho de Helena o melhor do mundo inteiro!
-Aqui está, sirvam-se - sorriu Helena, entregando as xícaras na mesa, junto com alguns doces que havia feito pela manhã.
-Obrigada minha filha, era tudo o que eu precisava!
-É, valeu mesmo mãe! Você manda muito bem!
-Ora, parem com isso ou vou acabar acreditando! - riram as três juntas.
-Então, me conte querida, como vai a mudança, já terminou de desempacotar tudo? - perguntou Eulália.
-Sim, terminei hoje a tarde! Estava tão exausta de ficar abrindo caixa e desenrolando peças de vidro e coisa e tal, graças a Deus acabou!
-Que bom, que bom!!!!! - exclamou ela muito contente - Agora podemos focar na cafeteria! Já tem um nome, ja comprou as peças, os móveis?
Helena deu um sorriso maroto, mal sabia sua mãe que ela já tinha comprado tudo e até organizado o salão - venha comigo mamãe.
-A campainha tocou, vou atender, vão lá vocês duas! - disse Marcela, correndo para a sala.
Quando Helena abriu a porta do salão... Eulália ficou encantada!! - Minha santa mãezinha! Minha filha, você arrumou tudo sozinha?
-Metade, Marcela ajudou em parte também - sorriu orgulhosa - O nome é Cafeteria Ma Belle.
-Ficou lindo, fantástico! Goste do toque francês bem requintado no nome - sorriu ela,
-Obrigada mamãe - Eulália correu para um bom e velho abraço de mãe e filha, sempre que ela a abraçava, Helena parecia esquecer todos os problemas e o tempo parava, ela se sentia em paz - Eu amo o seu abraço, mãe - sorriu.
-E eu amo você, minha filha. Deus seja louvado, por ter cuidado tão bem de você e por ter te trazido pra mais perto de mim.
-Ele não cuidou tão bem assim... - disse ela, sentindo uma certa tristeza e rancor - se tivesse cuidado, não teria me deixado passar pelo que passei...
-Não diga isso! Ele te deu uma filha linda, cheia de saúde, te deu dias maravilhosos, um bom emprego, agora colocou sua filha pra te encontrar justamente no dia em que você quase se matou! Se isso não é cuidar, eu não compreendo mais o que essa palavra significa.
-Chega mamãe, por favor.... eu não quero ficar tocando mais nesse assunto, é passado, e o passado eu estou tentando esquecer.
-Tudo bem, me desculpe. Eu vou voltar pra casa e depois nos falamos, fique com Deus - deu-lhe um beijo na testa e foi indo embora pela saída da cafeteria.
Helena voltou para dentro, e quando chegou na sala, deu de cara com um rapaz alto, forte e bem vestido que disse - Olá senhora Flanco! - ela o ficou observando como se tentasse resgatar na memória quem era aquele jovem de rosto familiar, então Marcela disse - Mãe, é o Luizinho!!!!
Ela espantou-se - Luizinho?! Meu Deus mas é você mesmo!!!! Como cresceu! Eu lembro de vocês dois correndo pela casa da sua avó como dois macaquinhos sujos de terra!
-Mãe! - disse Marcela, envergonhada - lembranças de infância agora não, por favor!
-Que nada, Má! Ta tudo bem! Eu adorava aquela época! - disse ele entre sorrisos - Lembra quando a senhora contava historinhas pra gente na hora do café da tarde?
-Mas é claro que me lembro! Você cismava em ser meu personagem principal em todas as histórias! - disse Helena, sorrindo ao lembra-se de uma época gostosa onde não existiam problemas, nem traição, nem tristeza...
-Ai mãe, eu tava pensando, o Luizinho é de casa né, e a gente tava pensando em estudar até tarde, ele vai me passar algumas matérias, já que eu entrei na mesma sala dele, então... será que ele pode dormir aqui?.... sê deixa? - perguntou Marcela.
-Você ainda pede permissão? eu já sou de casa poxa! - brincou Luizinho.
-É porque ela é uma boa filha - disse Helena.
-Que isso tia Lena, eu só tava brincando! - riu ele - Mas e ai, a senhora deixa?
-É claro, você é como se fosse meu filho também. Mas infelizmente não temos outra cama então vai ter que se contentar com o sofá mesmo - disse ela, sorrindo.
-Tá ótimo tia! - curvou-se e deu um beijo no rosto dela - Valeu!
Marcela não deixou por menos e beijou sua mãe também - Valeu mãezona! Bora Luizinho, vamos lá no meu atelier - os dois subiram as escadas rindo enquanto Helena observava como o tempo estava passando rápido e como sua filhinha amada tinha se tornado uma mulher maravilhosa... 
- É... esses jovens estão cada dia mais espertos! Bom, deixa eu ir lavar a louça que se não, ninguém lava!

6 comentários:

Cássia disse...

haushauhsua se eu tivesse com um deus grego desses em meu "atelier" a ultima coisa que eu faria seria estudar....
Amei ver as três juntinhas. Três gerações das mulheres Flanco (bom, se for esse mesmo o sobrenome da família).
Amando a história e a cafeteria ficou uma graça
*-----*

Jessica - Ciana disse...

nhaaa hasuhuhas ele realmente é um Deus *-*)~~ kkkkk
será mesmo que vão estudar?? rsrsrs
Pois é, o sobrenome da familia é Flanco sim =) hehehe
Que bom que esta gostando, em breve vou postar uma foto bem perfeita da entrada da cafeteria *--*)~~

Beijo!

Juliana Estefane disse...

Aiin, to amando a história!!!
A cafeteria ficou um espetáculo!
Minha nossa esse Luizinho em?! Alem de simpático e lindo também. hehe u.u

Beijos da Ju

Jessica - Ciana disse...

hahahaha to vendo que o luizinho vai fazer um sucesso por aqui kkkkk
que bom q gostou da cafeteria!
hehhhehe um beijao querida!

Will Kellen disse...

Tow amando *_*
Vou acompanhar essa historia <3 Ainda me lembro de "Na velocidade do amor" Eu não perdia um capítulo KKKKKKKKKKKKK
Tomara que você se lembre de mim, gatona... sou do tempo do Simkut ^^
(Ellen Saltarelli)

Jessica - Ciana disse...

Aaaaaaaa claro que me lembro!!!! Ellen *----------*)~~ quanto tempo muié!!!
saudade >.<)
Que ótimo que vai acompanhar, fico super super feliz mesmo!!!!

Também sinto saudade de na velocidade do amor hehehehe

Um super beijo!