Capitulo 2.

Sexta-feira - 21:59 PM - Quarto da Rita.

-Maravilha! - exclamei baixinho para não acordar ninguém, enquanto descia da cama, apesar do meu quarto ser no sótão da casa, não queria fazer o mínimo barulho.
Eram dez horas da noite, meu plano seria iniciado a partir de agora!
Eu não queria levar absolutamente nada naquele lugar, infelizmente sou forçada a levar as lembranças, mas isso eu espero esquecer com o tempo....
Na ponta dos pés, fui andando até a cozinha, e finalmente depois de abrir a porta cuidadosamente, estava no quintal, olhando para os lados, ninguém nas janelas vizinhas para bisbilhotar e nenhuma alma viva passando na rua, maravilha!
Caminhei lentamente em direção ao muro, e notei que era um tanto alto....
Mesmo assim, fazendo um esforço danado, consegui pular, e mesmo tendo me esborrachado de bunda no chão, estava comemorando e tão feliz que nem senti dor alguma!
Finalmente estava livre! Finalmente estava fora daquela casa, fora daquele pesadelo!!
No meso instante, dei no pé! Comecei a correr em disparada pra não sei onde, apenas seguia em frente sem olhar pra trás!!!
Corri o máximo que pude, até que me senti exausta e sentei na grama, próxima a uma cerca.
Fiquei ali, sozinha no escuro, sem saber pra onde ir... Sem querer senti um certo remorso por deixar alguém que cuidou de mim desde que nasci...
-Não! - falei comigo mesma - Pare já com isso! Você é tolerante, mas tolerância tem limite! Eu aguentei aquela bruxa mandando em mim a minha vida toda! Pode parar de sentir pena... Não vai ser uma rua escura e sombria que vai me fazer mudar de ideia!
Deitei para ver as estrelas, estrelas me fascinam, e me acalmam... Fiquei deitada por alguns minutos olhando pro céu e pensando na vida e no que aconteceria amanhã e acabei pegando no sono. Só espero que a carrocinha não me pegue achando que eu sou um tomba-latas rs.

Sábado - 11:00 AM - Casa da tia Eva.

-RITAAAAAA!!!! Onde será que essa menina se enfiou? Ela ainda não trouxe o meu café da manhã! - gritava e resmungava Eva.
- Oh! Espere um minuto, eu esqueci que a mandei pro quarto ontem a noite... Pela santa mãe, onde eu estava com a cabeça em esquecer de mandar ela preparar o meu café e me acordar e depois voltar pro quarto! ... Ela deve estar lá me esperando para dar a primeira ordem do dia!
Eva levantou da cama, procurou suas pantufas reais mas não achou, e seu humor já não ficou dos melhores, saiu do quarto, caminhando ainda meio sonolenta até o corredor e chamou pela sobrinha malcriada. Olhou no relógio e exclamou - Santa mãe! Onze horas já? Ela tem que fazer logo o almoço!!! - 
Bufando e fazendo um imenso drama, apressou-se até a escada e gritou - Vamos, desça logo, é mais tarde do que pensei, faça já o almoço!!!
Aguardou alguns segundos e vendo não ter resultados, subiu a escada vorazmente e deparou-se com um quarto vazio...
-NÃO! NÃO PODE SER!!!
Com o coração disparado e as mãos suando, desceu a escadaria quase que caindo e praticamente se jogou no telefone que ficava na parede, próximo a sala.
-Alô, Sr. Patino, ela sumiu!!!! - berrou exaltada e ofegante.
-Como assim sumiu? Ela não esta em lugar nenhum, Tem certeza?
-Absoluta! Olhei em todos os cômodos, ela sumiu!!! Deve ter fugido a noite! Não sei o que fazer!!!
-SUA INCOMPETENTE! AS ORDENS ERAM DE NÃO DEIXAR ELA FUGIR, COMO VOCÊ É BURRA!
-Desculpa!!! Eu não imaginei que ela fosse capaz e...
-Cale a boca mulher... Você já me deu dor de cabeça demais... É melhor encontra-la logo, ou as consequências não serão boas pra você, eu garanto! 
-Por favor me dê mais uma chance, eu prometo que encontrarei ela!!!! - suplicava Eva.
-Calada. Você já teve muito mais do que uma chance! Vou mandar um de meus agentes procura-la, e se acaso ela voltar, me avise de imediato e quem sabe eu acabo liberando você desse fardo! - desligou.
-Que mulherzinha mais abusada... Onde já se viu, não existem mais empregados como antigamente! - resmunga Vitor discando para um dos seus agentes secretos - Alô, Rud, é sua chance de me orgulhar, encontre-a o mais rápido possível e lhe recompensarei muito bem!
Enquanto isso, Eva inconformada com a fuga da sobrinha malcriada, não sabia se saia correndo na rua perguntando sobre uma garota que os vizinhos nunca viram fora de casa ou se chamava a polícia ou a NASA.
-Eu tenho que encontrar essa menina.... E eu vou acha-la a qualquer custo!

2 comentários:

Camille Castro disse...

agora todos nós queremos sabe aonde vai essa menina ? *o*

Rita Oliveira disse...

Meus Deus! Quem será Rita para ser assim tão trágico o seu desaparecimento?

Beijinhos