CAPÍTULO 10 - UMA AMIGA SOLIDÁRIA.

_Aqui esta! - disse Lakota chegando com dois potes de sopa - Espero que goste! - sorriu.

No mesmo instante que ela colocou o pote ao meu lado, eu peguei-o vorazmente e bebi a sopa sem pensar duas vezes... Antes que ela pudesse gritar - Esta quente!!!!

Com toda aquela fome eu nem me importava, ia dando várias sopradinhas e mandando tudo pra dentro. Estava tão gostosa! Acho que devia ser sopa de galinha! Fazia tanto tempo que eu não comia algo assim tão bom, que quase flutuei com aquele sabor maravilhoso!


Depois que terminei a sopa, coloquei o pote em cima da mesinha e agora feliz e corada, muito bem alimentada, agradeci com um sorriso e elogios - Meu Deus! Muito obrigada por essa refeição, Lakota, você é minha salvadora! Que sopa mais deliciosa!!! Se eu não tivesse encontrado vocês, acho que teria morrido de fome... Eu definitivamente não sei cozinha nadinha... Que delícia!!! A tempos não sinto um sabor tão bom, muito diferente daquelas raízes nojentas que Rocal me dava...

_Hora, que é isso! Imagina! - disse ela feliz com o elogio - Quem é Rocal?

_Ah... Ninguém importante... Não mais.... - falei meio cabisbaixa. Percebendo que eu estava voltando a ficar triste, logo mudei de assunto - Agradeço mais uma vez por permitir que eu fique aqui hoje. Seu irmão não vai brigar?

_Que isso, meu irmão não briga não, ele é muito calmo. Não se importa com as visitas. Mas me diga meu bem, de onde você veio? Você não é daqui, é?


_Não, não, eu vim de longe, da cidade grande. Estava dando uma festa num navio quando caí na água e acordei na aldeia. Já deve ter se passado semanas, talvez meses, estou um pouco perdida no tempo... Aqui não tem relógio! Bem, tem um relógio de pedra mas eu não sabia ver as horas nele... Desde então nunca mais saí da aldeia, fiquei numa cabana de um... Amigo....

_Sinto muito. Se pudessemos, ajudaríamos você a voltar, mas não há como fazer isso, nós nunca mais saímos daqui, já perdemos a noção de que direção tomaríamos para voltar.

_Tudo bem... Já estou conformada... Antes eu berrava e batia o pé querendo tudo na hora, mas aprendi que não é assim... Aprendi e compreendi que não vou mais sair daqui... Não viva, pelo menos.

Ela me olhou meio tristinha e falou - Tenha fé querida, a fé move montanhas! - e dando uma pausa, perguntou - Então você não tem para onde ir, não é?

_Não tenho. Não faço ideia do que vou fazer de agora em diante. Antes dependia totalmente desse amigo, agora... Estou sozinha...

 

_Uma moça como você não duraria em algumas partes dessa ilha - disse Lakota séria - Você tem que tomar cuidado, sabia? Onde já se viu ficar andando a noite, ainda bem que você nos encontrou, imagine se tivesse encontrado os Tiki Tiki? Cruzes! Seria terrível!

Arregalei um olhão surpresa e falei - Sério? nossa, mas porque? Quem são esses ai? São perigosos?

_Mas é claro! São canibais!!!

Arrepiei todinha só de pensar! Credo!!! Jesus, Ave Maria!

_Depois eu te mostro algumas tribos, daqui de cima da pra ver bem quase todas. Bom, menos a tribo dos Chequedah, eles vivem no subsolo, saem a noite pra caçar e dormen de dia, você teve muita sorte garota! - falou Lakota, muito surpresa e feliz por eu estar bem.


_Realmente, você falando assim, acho que tive sorte mesmo! Prometo que não vou me aventurar pela selva novamente, apesar de que vou ter que achar um lugar pra ficar....

_Não se preocupe, você pode ficar aqui o tempo que quiser, vou falar com Tsuke pra construir uma cabana pra você aqui no topo, ai seremos vizinhas e você não estara sozinha, e nem em perigo.

_Poxa, muito obrigada mesmo!!!! Nem acredito que encontrei uma pessoa tão boa e gentil como você! Obrigada! Obrigada!!!

_Imagina querida, eu gosto de ajudar. - sorriu.

_Mas me diga, não tem perigo dessas tribos do mau virem até o topo da ilha? - perguntei curiosa e com medo.


_Não! Ninguém vem aqui, todos acham que minha família meche com mágia negra e bruxaria, coisas do tipo, todos tem medo de nós.

_Poxa, acho que isso é até bom! - sorri - Deixa eles continuarem a pensar assim - brinquei. Dei uma bocejada e uma espreguiçada, o sono estava chegando, então Lakota se ofereceu para me levar até o quarto.

_Aqui - disse ela, depois de subirmos a escada e entrarmos num quarto ao lado do dela - Pode ficar neste quarto.

_Mas aqui não é o quarto do seu irmão?

_Não, meu irmão dorme comigo. Aqui é o quarto da nossa filha Telaka.

_Filha??? - espantei - Mas não vi nenhuma criança aqui, onde ela esta?

_Lá fora, no jardim.


_Eu não vi nenhuma criança lá quando eu cheguei. - fiz uma cara de confusa e meio sem graça.

_Vem comigo... - disse, então saímos do quarto, descemos a escada e fomos lá fora perto de uma árvore seca e assustadora...

_Essa é Telaka. - falou apontando para o chão.

Pasmei... Fiquei muito surpresa! - Céus! Sua filha esta....?

_Morta?... Sim... Morreu já faz um ano e sete meses. Câncer. Não pudemos fazer nada...

_Nossa! Eu não sabia... - exclamei - Me perdoe, eu sinto muito....


_Não sinta - sorriu meiga - Ela esta bem agora. Não sofre mais. E eu a vejo sempre, mantemos contato.

_Como????

_Em meus sonhos - sorriu feliz, como se recorda-se do passado da filha quando viva. - Vamos entrar? Já já amanhece e a rotina aqui começa cedo.

_Ah, claro! Vamos... - E voltamos para o quarto. Ela deixou algumas peças de roupa para eu utilizar durante o dia que era quente, e deixou aquela roupa enorme e quentinha para a noite. Até que eu me acostumasse com o clima.

_Espero que durma bem! - disse - Você deve estar muito cansada depois de andar tanto até aqui. A aldeia dos Shibauba é muito longe!


_Ah, obrigada... Acho que quando eu deitar nessa cama vou apagar e acordar só amanhã! - rimos - Estou tão cansada, e agora graças a você, bem alimentada e com um teto para dormir bem! Não sei como agradecer!!! De verdade!

_Hora! Esta tudo bem! Não precisa agradecer, faço o que gostaria que fizessem a mim se eu estivesse na mesma situação! Agora descanse. Boa noite.

_Boa noite! - falei sorrindo.

Lakota saiu do quarto, e eu deitei na cama e fiquei a pensar em tudo que estava acontecendo. De fato eu estava tendo uma nova chance de mostrar o meu valor, o único problema é que eu não sabia quais valores eu tinha... Era como se eu estivesse tentando renascer, aprender a fazer coisas boas das quais eu nunca havia feito minha vida toda. Seria bom ficar ali e aprender algumas coisas importantes, Lakota parecia ser meiga e doce, uma mulher gentil e firme. Amanhã vou pedir a ela que me ensine tudo, não quero mais depender de ninguém aqui, e como eu tenho que ver a realidade, devo aprender a me virar, pois vejo que nunca mais sairei daqui...


E já que é assim, melhor que eu aprenda a viver nesse tipo de vida. Nem eu aguento mais ficar lamentando e chorando para voltar. A quem eu estou querendo enganar? Sentia a tristeza de ficar aqui para sempre, lá no meu íntimo... Mas fazer o que? Deus já me mostrou mais de uma vez que nem tudo é como eu quero... E se Ele ainda estiver olhando para mim e se importando comigo, quero mostrar que não sou fraca e que posso mudar. Quero que Ele ao menos tenha orgulho de uma filha que esta descobrindo os valores bons da vida só agora....

 

5 comentários:

BeAz Sims disse...

Acho que vai ser bom você aprender coisas novas por ali, é sempre bom sabermos mais.

Beijinho!

The Sims³ Historias disse...

...aqui é o quarto da nossa filha Telaka.

Como assim nossa je ? dela e do irmão dela o.O
nao entedi essa parte. Espero que a Sussana aprenda tudo que deve aprender.

Caroline disse...

Legal *__*

Mariana disse...

Muito triste este capítulo na parte em que se percebe que a filha morreu. De resto muito bom:)

David Veiga disse...

Imagina se ela não tivesse os encontrados. O_Õ
Imagina se os Tiki Tiki tivessem a pegado. O_Õ

Ainda bem que o ocorreu tudo bem. XD