♥ Capítulo 17

-Fala logo, por favor!!! O que ela tem? É grave? Ela pode morrer?
-Meu Deus mocinha, acalme-se ou vou ter que medicar você com um calmante! - disse a médica.
-Viu Jack, eu disse... relaxa e ouve o que ela tem a dizer! - falou Jé.
-Bom, fizemos uma bateria de exames e foi relatado que ela tem mal de Alzheimer - disse a médica.
Jack quase teve um troço.... Jé a acalmou e a médica continuou - Mas acalmem-se. A doença ainda esta no início e tem como ser tratada. Ela precisa de muita atividade intelectual e sempre ser acompanhada com exercícios repetidos de memória.
-Mas e agora? Ela estuda, esta na faculdade, esta fazendo um estágio com a gente, ela vai ter que parar todas essas atividades? - perguntou Jack.
-Não, pelo contrário! Ela necessita de atividades para o seu cérebro não parar de trabalhar. O problema é que se ela já esta apresentando esse quadro de alteração no humor, o quadro começa a complicar, pois ela pode estar entrando na fase dois da doença, fora que a tentativa de suicídio deixa o caso ainda mais difícil.
-E o que acontece agora? - perguntou Jé.
-Ela vai precisar ficar internada por alguns dias. Primeiro, porque ela ingeriu uma alta quantidade de álcool e isso é muito perigoso, teremos que ficar observando o seu comportamento, segundo, porque vamos ter que analisar e estudar o desenvolvimento dela e ver a velocidade que a doença esta avançando e como poderemos combatê-la.
-Meu Deus... - exclamava Jack, sem conseguir acreditar naquela loucura... - Mas ela nunca demostrou isso, ela sempre foi tão sossegada, tão calma... Só agora quando chegamos na mansão dos famosos é que ela começou a surtar.
-Ela sempre foi calada ou deprimida? - perguntou a médica.
-Sim! Sempre quieta, não conversa muito e esta sempre distante da realidade. - respondeu Jack.
-Entendi... Bem, isso são sinais da doença, e que na maioria das vezes passam despercebidos, fazendo ela parecer apenas uma garota antissocial.
-E agora doutora? O que podemos fazer pra ajudá-la?
-Vocês no momento podem apenas orar por ela, e tentar conversar bastante, deixá-la sempre entretida. Se há um momento de união, é este. Sejam carinhosas, demonstrem o quanto vocês a amam e a façam sentir que é amada. Já podem ir visitá-la, porém ela esta sedada, mas conversem com ela, vai lhes fazer bem. Eu preciso ir, qualquer nova notícia eu procuro vocês.
-Muito obrigada doutora - agradeceu Jé. - Eu vou chamar o Wesley, ele esta lá fora, vá indo lá Jack.
Jé foi chamar ele, mas ele não quis entrar com elas, disse que era para as duas ficarem com a amiga primeiro e depois ele a visitaria sozinho. Jé nem quis discutir sobre isso e foi pra o quarto.
Chegando lá, Jack a estava observando do pé da cama.
-Olha só pra ela Jé... - choramingava - Parece tão frágil e indefesa... E olha o que ela fez com o cabelo e o rosto... Eu deveria ter escondido aquela tesoura que você usou para cortar o cabelo aquele dia...
-Não tinha como você saber que ela daria uma de serial killer com o próprio cabelo... Não foi culpa sua.
-Mas é claro que é culpa minha!!! - colocou-se a chorar e Jé a acolheu - Eu deveria ter insistido mais pra ela se abrir comigo, deveria estar mais presente e deveria ter sido mais atenciosa! Se eu tivesse prestado atenção no começo isso talvez poderia ter sido evitado!
-Calma maninha, por favor... Já disse, não tinha como imaginarmos que isso aconteceria. Não podemos nos culpar disso ou daquilo, ou que deveríamos ter feito isso ou aquilo outro. Não há como prever uma coisa ruim de acontecer, mas podemos agora prever que possa voltar a acontecer.
As duas ficaram observando a pobrezinha, e ficaram conversando com ela. Depois de alguns longos minutos, Wesley veio e Jé fez sinal para Jack, para deixarem ele a sós com Gabe.
-Pode ficar aqui com ela, nós vamos comer alguma coisa na lanchonete do hospital. - disse Jé.
-Obrigado. - agradeceu ele.
Elas saíram e então ele ficou parado perto da porta alguns instantes, como se tivesse vergonha de se aproximar.
Deu alguns passos e então, estava na beira da cama - Porque Gabe... Porque... - dizia ele, baixinho.
Ele a olhava com tanto amor, algumas lágrimas escorriam-lhe no rosto, então ele puxou a poltrona e sentou-se ao seu lado - Porque eu não contei a verdade.... Eu deveria ter sido sincero com você desde o início... Eu sinto muito!!! - exclamava.
Ele ficou ali, olhando-a e acariciando seu rosto todo o resto do tempo da visita, depois saiu e foi sentar-se novamente no mesmo lugar em que estava lá fora.
Jé, o vendo passar, o seguiu bem devagar, e vendo onde ele foi parar, aproximou-se e sentou-se ali perto.
-Então Wesley - disse ela - Acho que este seria o momento apropriado para você me contar porque veio.
-Eu apenas acompanhei vocês, mais nada. - respondeu secamente.
-Claro, mas se era só isso, porque ainda não foi embora, e porque aparenta até mais preocupação que eu?
-Não fui embora porque eu não quis ir e se você não tem sentimentos, não culpe os outros de parecerem se importar mais que você - respondeu.
Ela silenciou, virou-se - Olha, eu não quero brigar! Também não quero ser rude, só achei que você estivesse gostando dela, só isso. E sinceramente, gostei de quando estavam juntos, eu os via rindo e se divertindo, coisa que talvez pela minha personalidade, eu nunca conseguiria com ela. Você foi uma coisa boa que aconteceu na vida dela, desde que chegamos na casa, eu nunca havia visto ela tão feliz como quando ficava com você. - disse Jé, sendo sincera.
Ele ouvindo aquilo, engoliu a seco, pensou um pouco, tirou os óculos...  - Ela também foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida desde tempos... Eu nunca imaginei que criaria um laço tão forte por alguém novamente.
-Você gosta muito dela né... Da pra ver, ta estampado bem na sua cara - brincou Jé tentando descontrair o momento.
-Sim, mas não pense que minhas intenções são de ter um romance com ela, jamais.
-Mas então? - perguntou Jé, não entendendo nada - Se você gosta dela, porque não iria querer tê-la como namorada?
-Meus sentimentos por ela são mais fortes que isso, vão além de um amor de namorados. Eu olho pra ela e vejo uma irmã... A minha irmã... - disse ele, tendo dificuldades em contar isso.
Jé meio que se surpreendeu com aquilo - O que?? Ela é sua irmã???? De verdade?? De sangue?
-Não, claro que não... Mas eu daria a minha vida para que fosse.... - ele respirou fundo, e então contou tudo - Sabe, desde que a vi, senti meu coração apertar desde o primeiro instante. Ela é idêntica à minha irmãzinha mais nova Clarice, a voz, o cabelo, até o jeito de arrumar os óculos...
-Ah, mas isso é bom né, porque, bem... Você é um astro, um cara famoso, vive viajando por causa das corridas, deve ser bom ter alguém que se parece com quem se ama por perto, assim talvez você não fique com tanta saudade dela enquanto esta fora, mas quando voltar pra casa, você vai poder revê-la de novo, não é mesmo.
De repente ele se pôs a chorar como um bebê e disse entre soluços - Não, infelizmente não! Ela morreu e eu nunca mais vou poder vê-la! Nunca mais!!!
Jé se surpreendeu com aquela reação espontânea, sem pensar agachou perto dele e ficou em silencio, apenas o ouvindo.
-Eu e ela éramos apegados demais, ela assistia a todas as minhas corridas, eu sempre prometia que ia vencer por ela e sempre vencia, ela me adorava, mas não como os fãs, eu era um exemplo, como um pai pra ela, porque o nosso pai nós nunca chegamos a conhecer. Um dia, eu estava tomando o avião para ir a um evento importante, e ao sentar-me na janela do avião, pude ver tudo.
Jé apenas o ouvia, não dizia nada, não queria interromper, e ele continuou - Minha avó e ela estavam dando tchau para mim, estavam próximas a um galpão, era um aeroporto particular, então, alguma coisa dentro do galpão aconteceu, e tudo explodiu, e eu assisti tudo da janela, e não pude fazer nada! O avião já estava decolando e o piloto não quis parar e voltar! Eu vi minha única família morrer queimada e não pude fazer nada!!!! Nada!!! 
Jé entendeu porque ele era tão fechado, rude e tão na dele. Ela nunca havia descoberto isso, a mídia, os repórteres, nunca haviam publicado nada assim, ele era muito reversado, talvez não quisesse mesmo que ninguém soubesse e espalhasse.
- Então ele limpou algumas lágrimas, e se levantou, e Jé logo levantou-se também.
Ele disse - Eu espero que essa conversa não saia na próxima edição de fofocas...
-Não! Claro que não! Jamais faria isso... - disse ela.
-Então, com licença, eu vou ficar com a Gabe. - e antes de sair disse - Perdi a pessoa que mais amei e não pude aproveitar cada momento perto dela como eu queria, não vou cometer o mesmo erro novamente. - e saiu.
Jé estava admirada. Nunca poderia imaginar que por trás daquela armadura haveria um homem tão frágil.... Ela estava de fato boba com toda aquela história e tantos acontecimentos.... Jamais iria contar isso pra alguém, ela o respeitava e a partir de agora, o admirava por ser tão forte.

Enquanto isso na casa.

-Ei Rodrigo - chamou Thiago - Você viu a Jé? Não a encontro em lugar nenhum!
-Você não soube? - fez uma pausa - Ela esta no hospital.
-No hospital???? Mas o que aconteceu???? Ela esta bem?
-E como eu vou saber, eu não fui junto! - riu - Eu não sei o que aconteceu, apenas a vi entrando numa ambulância.
-Ela estava sozinha?
-Não, Wesley estava junto com ela. Só vi os dois, não sei se tinha mais alguém. - respondeu Rodrigo.
Thiago ficou preocupado... O que havia acontecido pra ela ter ido pro hospital, e logo com o Wesley? Será que ele estava doente? Mas porque ela foi acompanhá-lo? Que loucura era aquela? Ele tinha que fazer algo! - Eu vou pro hospital agora mesmo!
-Tanto faz... - respondeu Rodrigo dando de ombros e seguindo seu caminho.
Thiago foi pro hospital de táxi e chegando lá, entrou correndo à procura de Jé. Ele queria saber o que ela foi fazer lá e porque estava com Wesley, ou ele com ela.
Entrou e foi direto na recepção - Com licença dona, quero saber se alguém de nome Jéssica deu entrada aqui.
-Jéssica do que? - perguntou a secretária.
-Eu não sei o sobrenome dela! - respondeu.
-Eu não posso encontrar alguém apenas com o primeiro nome, temos muitas pessoas dando entrada todo tempo! - disse a moça.
-Eu não quero saber! Apenas veja quantas Jéssica tem que eu me viro!
-Desculpe senhor, mas eu não posso dar esse tipo de dado, e o senhor não pode ficar entrando em todos os quartos procurando alguém, os enfermos precisam de paz!
-Eu só preciso saber se ela esta qui!!!
-Desculpe senhor, mas sem o nome completo eu não posso ajudá-lo, sinto muito.
Ele ficou irritado e deu um soco no balcão. A moça ameaçou chamar a segurança do hospital e ele disse que não precisava, já estava indo embora. Mas ao virar-se, ele olha pro lado e vê a cena...
Jé e Wesley estavam abraçados no corredor ao lado.
Thiago ficou tão irritado com aquela imagem que não pensou duas vezes e correu até lá, aproximou-se e sem pensar, agarrou na camisa de Wesley, puxou-o e deu-lhe um soco na cara.
-Mas o que é que você pensa que esta fazendo Thiago??? - gritou Jé, assustando-se com aparição dele de surpresa.

6 comentários:

Marina Tavares disse...

Primeira a comentar êee o/ Tadinha da Gabe :/ e do Wesley também nunca podia imaginar que ele tivesse sofrido tanto ;( Thiago endoidou ? haha
Muito muito ansiosa para o próximo cap. *-*

Ads disse...

espero que ela fique bem e de tudo certo :(

BeAz disse...

Espero que Gabe se recupere e faça as pazes com Wesley.
Tive pena de Wesley pelo passado dele, ele é lindo sem os óculos, espero que consiga resolver tudo com Gabe.
Thiago é um burro desnorteado, age sem pensar, é um bobo!

Beijinho, querida!♥

Aníbal disse...

Poxa! Coitada da Gabe =/
Espero que ela fique boa logo *-*
Com certeza o Wesley tá interessado por ela! Acho esse casal super fofo *-*
E o Thiago ciumento u_u' Acho que a Jé vai revelar o que sabe u_u'
SUHAUSHA'

Beijos, Jéssica *-*
Bom dia pra você, linda! \õ

Simy (Diários The Sims) disse...

Poxa, que história triste a do Wesley!!
Será que ele e a Gabe ficarão juntos (romanticamente falando) mesmo ele tendo um sentimento de irmão por ela??
Adorei o capítulo!
Beijos.

http://diariosthesims.blogspot.com.br/

David Veiga disse...

Nossa, que dó da Gabe. :'(
Tomara que ela logo se recupere. Me emociona o que se passou com o Wesley.
Thiago, quê que é isso "fi"?

Beijoooss!