✿ Capítulo 2

-Oh céus!!! - berrou Augusta, saindo para ir até a padaria...
Mas era.... era.... Era uma criança?! Ali na sua porta! Sozinha, abandonada.... e Com um bichinho! Ela não poderia deixá-la ali, rapidamente a pegou no colo, e entrou, ao lado do pequeno cãozinho que seguia a garotinha.
-George! Oh George venha ver isso!!!
George estava atacando a geladeira, e foi até a sala ver o que sua esposa escandalizava tanto.
-Veja homem! - dizia, mostrando a criança.
Ele arregalou os olhos -Mulher! É uma criança! De onde ela saiu???
-Estava na porta da nossa casa! Oh querido, ela não é linda?! Eu não acredito.... Deus ouviu as minhas preces!
-Você tem que devolvê-la! Nem sabe se os pais estavam ali e a deixaram passear sozinha! - dizia ele assustado.
-Ô homem! Ela estava dormindo na porta da nossa casa, não havia ninguém na rua, nenhum sinal de pessoa alguma! Acho que foi abandonada!
-E se voltarem para buscá-la? Como faremos se nos apegarmos a ela?
Augusta sorriu e disse abraçando a pequena - Meu bem, eu sinto quando Deus prepara um presente para alguém, e este é um... Veja, ela estava acompanhada daquele pequenino ali - apontou o filhotinho que não saía de perto da criança - Com certeza a deixaram, abandonaram os dois... Foi Deus quem fez essa família deixar ela aqui querido, justo aqui!
-Mas querida... - receava ele, com medo daquela situação inesperada.
Ela sorriu novamente e disse - Sabe como sofri para te dar filhos e nunca pude... Orei tanto na esperança de um dia Deus me dar um filho, e agora vejo o que ele planejou para mim, para nós! Meu destino não era engravidar, era cuidar de uma vida que, mesmo não sendo sangue do meu sangue, é filha de Deus!!!
Ele se aproximou ainda com um certo receio.... Olhou aqueles olhinhos brilhantes.... Já era, ficou encantado com a pequena...
-Como vamos chamá-la? - perguntou tímido...
Augusta encheu o peito de alegria e respirou aliviada, e olhando para ele disse - Vamos chamá-la de Luciana! É um nome lindo e iluminado!
Assim ficou, Luciana Mirante do Amaral!

Doze anos se passaram, tranquilos e calmos.... E ela foi crescendo... E começando a demonstrar certas diferenças de crianças normais... Como o seu cabelo por exemplo, que nunca teve cor alguma, era branco puro...
-Vovó - dizia a pequena - Porque eu sou tão esquisita?
-Ora meu anjo, você não é esquisita, de onde tirou isso?
-Um menino me chamou assim na escolha hoje... Eu fiquei triste... Não quero ser esquisita!
Augusta abaixou para olhar em seus olhos - Meu docinho, você não é esquisita e nunca será! Você é especial, e ser especial é maravilhoso!!!
-É eu sei... sou especial porque fui encontrada, eu sei vovó... Mas.... Porque eles fizeram isso comigo? Será que também me achavam esquisita e por isso me abandonaram?
-Jamais meu bem!!!! - exclamou - Eu não tenho todas as respostas e você sabe, só o futuro pode responder ou não as suas perguntas sobre seus pais verdadeiros, mas enquanto esse dia de respostas não chega, eu não quero te ver triste e pensando bobagens. Hoje foi o seu primeiro dia de aula, é normal algumas crianças se estranharem, mas depois vão pegando amizade! Agora mude esse rostinho, ta bem?
-Ta bem - disse ainda com o rostinho um pouco desanimado. Augusta e George nunca esconderam dela que era adotada, sabiam que era errado esconder, e quando ela criou uma certa maturidade para compreender certas coisas, eles contaram a ela.

Toda criança pode ficar chocada quando descobre que é adotada. Algumas não se importam por não compreenderem realmente o que houve e outras se desesperam mesmo sem saber o sentido profundo da palavra 'adotar'. Mas com Luciana foi diferente, ela sorriu quando contaram a ela, e disse que não precisava de mais ninguém além dos dois, que lhe deram tanto amor e carinho desde que começou a guardar lembranças na memória.
Augusta a abraçou e depois disse - Porque você não vai procurar por Sofia? Ela sempre te anima!!! - sugeriu. E antes que Luciana saísse do quarto, ela disse - E olha meu anjo, se alguém te chamar de esquisita de novo, encha seu peito de orgulho e sorria, agradecendo e até rindo se quiser!
-Mas porque eu agradeceria vovó??? - perguntou Luciana, estranhando aquele conselho.
-Porque se você der atenção as bobagens que disserem, nunca vão parar, mas se não der atenção ou até demonstrar uma atitude contrária ao que esperam, vão parar de pegar no seu pé.
Luciana sorriu, soprou um beijinho da porta em direção a Augusta, e foi correndo encontrar Sofia.

6 comentários:

Caroline disse...

Awwn!! Q lindinha, a Augusta tmb é uma pessoa mto boa rsrs -Ansiosa por mais caps,
Carol

Jessica - Ciana disse...

Obrigada Caroline!!!
Beijinhos Jeh♥

Simy (Diários The Sims) disse...

Aaawn amei esse capítulo!
A Luciana é muito linda e a Augusta muito fofa! :)
Beijos.

http://diariosthesims.blogspot.com.br/

Marina Tavares disse...

Que cap. foooofo *o*
Amei, como sempre uma maravilha rs
Muitos lindas!
Aguardando ansiosamente o próximo *u*
Beijos!!

BeAz disse...

Luciana é uma linda menina inocente! Ainda bem que ela deu com uma boa mãe adotiva!
Beijinho!♥

Felipe disse...

vamos fazer parceria http://theseriessims3.blogspot.com/
Depois vou criar meu banner Ok