❅ 3º Capítulo

-Haha! A maluca tarada! O que você faz aqui? - Era ele de novo, surgiu do nada para infernizar minha vida até no meu trabalho! - Não me chame assim, idiota! O que eu faço aqui? Eu trabalho aqui! O que você faz aqui?
-Então você é a funcionária tão elogiada da minha tia? Não acredito, tia você me enganou! Disse que era uma moça incrível e eu só vejo... ela... - riu sarcasticamente.
Olhei surpresa para Dona Carmen - Tia? Você é tia dele? Eu sempre achei que você era sozinha no mundo como eu! Porque nunca me contou?
-Nunca te contei porque você nunca perguntou - riu. Agora eu sabia de onde vinha o sarcasmo e a ironia... Era um traço de família.
Percebi então que tinha acabado de chamar o sobrinho da minha chefe de idiota, e bem na cara dela... Estava começando a ficar nervosa com o olhar dela e irritada com a presença dele.
Ela me fitou - Então é do meu sobrinho que você reclama tanto?
-Você estava falando mal de mim? - indagou ele com um sorriso jocoso.
-Não! Quero dizer... Sim! Bem.... - eu estava encurralada! Havia falado mal dele de todas as formas pra minha chefe e agora os dois me fitavam com ar curioso. Comecei a sentir meu rosto formigar de vergonha, se pudesse já teria saído correndo e atolado a cara na neve mais funda...
-E você meu filho, invadiu a casa dela? - continuou Dona Carmen.
-Eu não invadi, eu entrei sorrateiramente para me aquecer porque ela não teve a capacidade de fornecer uma ajuda para ligar o termostato! Tive que subornar uma velha com agorafobia pra ela me passar um papel por baixo da porta com instruções de como ligava aquilo... O povo daquela rua é tudo louco!
-Se eles são loucos então mude-se de lá e aproveite para deixar a minha vida em paz! - berrei, sem conseguir me controlar.
-Mude-se você se é tão incomodada com barulhinhos e vizinhos divertidos e legais como eu que gostam de curtir a vida! Você é uma garota muito arrogante e metida!
-Como é? - enfureci-me - Arrogante? Metida? Você chegou nem faz um dia e já destruiu a minha paz! Quase me fez matar minha gata de fome e ainda não atende a porta da sua casa só pra me deixar preocupada e me pegar desprevenida com suas birolas de fora! 
Júlio corou por dentro pela tia estar presente e ouvindo aquelas coisas e não deixou barato - Você tem problema garota, devia se tratar! Porque em vez de ficar reclamando dos outros você não se interna num hospital para loucos???
Meus olhos encheram-se de lágrimas e aquilo pegou fundo no meu coração. Dona Carmen percebeu que ele estava indo longe demais e interviu - Chega dessa discussão boba! Júlio, vamos, volte outra hora e deixe a minha funcionária trabalhar em paz!
-Não há necessidade - respondi secamente tentando segurar as lágrimas. Levantei, deixei meu crachá de bibliotecária sobre a mesa e fui saindo da biblioteca.
-Espere Marina, aonde você vai? - perguntou Dona Carmen, preocupada.
"Hum, então ela se chama Marina..." - pensou ele.
-Vou-me embora Dona Carmen. Sinto muito, mas não fico mais nem um segundo perto do seu sobrinho. Adeus, espero que consiga uma boa funcionária logo, ou coloque ele pra trabalhar pra senhora - dizendo isso, saí da biblioteca com postura de uma dama firme, dirigi firme até em casa e só depois de entrar e fechar a porta foi que desmontei aos prantos no meio da sala.
-Viu o que você fez? - disse Dona Carmen para ele - Me fez perder minha melhor funcionária!
-Melhor? Ela era a única que você tinha! Que bom que ela foi embora, você não precisa de uma neurótica daquelas como bibliotecária, ela não sabe nem cuidar de um gato, que dirá de uma biblioteca! - disse Júlio com ar de sábio.
Dona Carmen olhou pra ele com um olhar dilacerador, e ele entendeu que havia passado do limite - Desculpe tia... Acho que nós dois fomos longe demais, mas ela vai esfriar a cabeça e vai voltar, né?
-Venha cá - os dois sentaram-se numas cadeiras e ela começou - Meu filho, Marina não é uma moça como as que você esta acostumado a lhe dar na capital. Ela é diferente. Sofreu muito na vida e batalhou duro pra chegar onde esta.
-Ela? Batalhou e sofreu? Não parece... Ela parece uma garota metida que sempre teve tudo o que quis e anda com um ar de donzela ignorando as pessoas e fazendo pouco caso dos que pedem ajuda.
-Pois você esta redondamente enganado. Eu conheço ela a dez anos. Faz dez anos que ela perdeu os pais. Faz dez anos que ela luta contra a depressão e o medo de morrer sozinha. Ela pensa que não percebo, mas a vejo tomando remédios anti depressivos na hora do almoço, e muitas vezes a peguei chorando no banheiro. Ela finge toda essa pose por fora porque é assim que ela consegue controlar a dor por dentro.
Júlio estava surpreso com tudo que sua tia contava, e prestava atenção enquanto ela continuava - Você deve respeitá-la, e por mais que goste de ser irônico e extrovertido com as mulheres, com ela deve ser educado e tranquilo.
-Mas porque tia? Ninguém nunca tentou ajudar ela? Quando falei pra ela se tratar, eu falei sério!
-Pois você não deveria ter dito aquilo sem a conhecer. Ela já tentou se tratar, ficou seis meses afastada daqui porque esteve internada, quase morreu de depressão, isso não é brincadeira. Se não fossem os médicos competentes, ela teria morrido. Tome muito cuidado com o que você diz pra ela, nunca julgue ninguém, principalmente ela que você não tem conhecimento sobre seu passado.
Ele ficou sem jeito, se sentiu constrangido e um idiota... - Agora você vai até a casa dela e vai pedir desculpas! E dizer que a estou esperando para trabalhar amanhã!
-Pedir desculpas? Mas mesmo ela tendo tudo o que você diz que tem, não é menos culpada, ela me ofendeu também! Porque só eu tenho que ir me desculpar?
-Você vai tomar a iniciativa! Você veio aqui, você a desestabilizou e a deixou frágil chamando-a daquelas coisas. Ela o ofendeu mas será ela quem deverá tomar a frente e te pedir desculpas também. Agora você vai lá ou eu não pago mais a sua pensão e você vai ter que trabalhar!
Júlio fez uma careta, mas aceitou passar aquele mico. Pedir desculpas não era bem a sua praia. Ele odiava ter que se rebaixar e se humilhar diante daqueles que deveriam respeitá-lo. Mas ele não pensava assim por mal, fora a educação que recebeu do pai que era militar, um homem duro e rígido que o ensinou a nunca se rebaixar para um ser mais fraco que ele. Mesmo assim, agora que seu pai faleceu e sua mãe ele nunca conheceu, foi morar com a tia e estava sendo sustentado por ela. E como estava acostumado com a vida mansa, ou era pedir desculpas, ou era trabalhar, e pedir desculpas parecia ser menos cansativo...
Tomou rumo à casa, já pensando no que dizer quando batesse na porta dela.

12 comentários:

Simy (Diários The Sims) disse...

Ai que triste a história da Marina! :(
Apesar de que eu já imaginava algo do tipo...
AMEI esse capítulo! :)
Acho que agora os dois vão se entender melhor! <3
Beijos.

http://diariosthesims.blogspot.com.br/

Dulce Gagaturno disse...

Ah eu fiquei com muita dó da Marina não sabia que ela era tão sofrida assim, Nossa eu iria ficar super arrependida e iria logo pedir desculpas, mais sem sentimentos de pena pois isso não é bom para nenhuma das duas pessoas.

Estou adorando mesmo!
Beijos

Jessica - Ciana disse...

Obrigada pela visita querida!
Pois é, Marina tem um passado difícil que com o tempo será revelado ^^)
Agora vamos esperar que os dois se entendem ^^)

Beijos!

Jessica - Ciana disse...

Você tem toda razão, sentir pena nunca é bom ^^)
Que bom que esta adorando!
Beijos!!!

Cássia disse...

Ownn tadinha da Marina, e o Julio ainda fala aquilo... é pra acabar com ela.
Será q ela vai desculpa-lo assim tão facil??
Tô amando a história! *---*

David Veiga disse...

Nossa Jéh! Amando essa história! *w*
"e me pegar desprevenida com suas birolas de fora!"
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, rachei muito! UAHUSHAUSHUAHS
Sei que tudo vai se resolver! ^_^

Beijos, tchau!

Jessica - Ciana disse...

Eu escrevi isso porque sabia que alguém repararia e iria rir horrores kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Obrigada pela sua visita!
Abraços ♥

Jessica - Ciana disse...

Pois é, o Júlio é bem estúpido, mas ele não sabia desse pequeno detalhe sobre ela, mas mesmo assim não deveria te-la ofendido né ^^)
Será que ela vai desculpar? Hehehehe

Beijoos ♥

Tulio soares disse...

Nossa senhora que barrraco fiquei com dó de Marina.
abraços aparece pelo meu blog gossto e ver você por lá

Marina disse...

Nossa coitada da Marina, fiquei com muita pena dela. Mais tudo vai se resolver :)
Também ri nessa frase "pegar desprevenida com suas birolas de fora!" kk
Beijos!

Jessica - Ciana disse...

Oi querido!
Eu estou lendo a história só ainda não tive tempo de comentar heheheh

Beijos!!

Jessica - Ciana disse...

Hhehehe sim tomara que tudo se resolva né ^^)
Hahahaha você também que legal kkk

Beijoos!