❅ 5º Capítulo

Naquela noite, entrei me sentindo uma vitoriosa! Agora tudo havia voltado ao silêncio que era antes e ele não se atreveria a agir dessa forma outra vez, ou teria a polícia o visitando novamente!
O resto da noite correu tranquila em puro silêncio, e eu me dei ao luxo de levantar uma hora mais tarde do que de costume. Acordei bem disposta e pronta para encarar o mundo lá fora! Sentia que aquele dia seria um dia especial e eu tinha que conseguir alguma coisa!
Ao contrário de mim, Júlio acordara de péssimo humor. Sua cabeça doía e parecia ter uma orquestra desafinada acabando com seu cérebro, devido a ressaca da festa. Ainda pra ajudar, não conseguia me tirar da cabeça, principalmente por causa da vergonha que eu o fiz passar na frente dos amigos.
-Essa garota conseguiu! Acabou com a minha alegria! Mas isso não vai ficar assim! - desceu para tomar o café e lembrou-se que havia deixado para fazer compras hoje. Bufou de raiva por não ter comida, e decidiu ir até uma padaria para comprar o café da manhã, depois pensaria em ir no supermercado.
Já eu, estava de tão bom humor que decidi nem tomar café em casa, iria me dar outro luxo, o de comer fora, pela primeira vez em cinco anos! Me arrumei como sempre, bem elegante, gostava de me sentir bem arrumada e perfumada, e não me importava com a opinião dos outros, enquanto eu estivesse me sentindo bem com o que vestia, o resto do mundo e suas opiniões não existiam para mim.
O dia estava lindo! Não nevava, mas o chão estava branquinho por causa da neve que caiu durante a noite, pelo jeito o céu resolveu me agraciar com uma ótima manhã para eu poder procurar emprego ainda mais feliz! Eu iria até a lanchonete a pé, pois como estava sem emprego, não poderia ficar gastando gasolina. Era melhor programar as coisas e gastar com sabedoria. Me agasalhei e saí de casa sorridente, não antes de colocar comida para Beleíze!
Júlio havia se agasalhado de qualquer jeito, e saiu com uma cara amarrada. E eu saí sorridente de bem com a vida. Ao abrirmos nossas portas, demos de cara um com o outro na varanda, ele estava com um bico enorme e eu sorri muito satisfeita relembrando os momentos da noite anterior.
Segui meu caminho passando ao lado dele, que ainda estava na varanda sofrendo para trancar a porta - parece que quando estamos com raiva, nada dá certo! - falei entre sorrisos, sem olhar para ele.
-Então os seus dias devem ser horrorosos, como conseguiu ficar viva todo esse tempo? - ironizou ele se aproximando depois de ter conseguido trancar a porta.
Fuzilei-o com o olhar e retruquei - Meus dias são ótimos, não graças a você, é claro!
-Pois pouco me importa, na verdade eu nem sei por que estamos tendo essa conversa!
-E quem disse que estou conversando com você?
-É louca então? Fala com espíritos ou gente retardada invisível?
-Gostei da segunda opção, acho que se a carapuça lhe serve bem, deveria ficar constrangido por ter se chamado de retardado invisível, por falar nisso, deveria estar invisível mesmo, pois sua aparência é tão constrangedora que se sairia bem melhor se ninguém pudesse enxergar essa sua cara horrível!
-Olha sua....! - ele respirou fundo, queria me xingar, berrar, até me estapear lhe passou pela cabeça, mas ele tinha que se controlar! - "Pelo jeito ela esta tentando me manipular para eu ficar mais zangado ainda" - era o que ele pensava. Deu as costas para mim e saiu andando rumo oposto ao meu, sem responder nada para não perder o foco de vez, sua raiva estava por um fio!
"Mais que homem rude! Dá as costas para uma mulher!" - pensei apertando os punhos. Mas deixa pra lá, respirei fundo o delicioso ar matinal de grama molhada misturada com flores do campo, e segui para o restaurante como se nada tivesse acontecido.
Chegando na lanchonete, escolhi um lugar aconchegante e fiz meu pedido. Enquanto aguardava, fiquei folheando o jornal acompanhando os classificados em busca de um novo emprego.
Júlio estava tão irritado que passou na frente da padaria e nem notou! Quando percebeu, estava no centro da cidade há cinco quadras do seu 'café da manhã' - Ah! Hoje não é meu dia! Maldito seja o dia em que aceitei que minha tia escolhesse um apartamento por mim.... Tinha que ser justo aquele? Urrrgh!! Deixa, dane-se a padaria, peço uma gororoba numa lanchonete qualquer e depois já parto pro supermercado, pronto, resolvido! - estressado e chateado com a péssima manhã que estava tendo, seguiu para uma lanchonete de esquina que avistou a duas quadras dali e achou-a interessante. Entrou, escolheu um bom lugar ao lado de uma grande janela, e ficou aguardando a garçonete que atendia outra mesa.
Não sei se era sorte ou azar, mas o filho da mãe havia entrado na mesma lanchonete que eu! E sentado na mesa em frente a minha! Não sei o que o destino estava aprontando, mas se ele estava querendo colocar sempre nós dois no mesmo lugar, coisa boa é que não era! Ao abaixar o jornal, dei de cara com ele novamente, e no mesmo instante, viramos o rosto para lados diferentes afim de evitar os olhares.
Mas minha mente neurótica era tão... "neurótica"... que não consegui ficar calada - Você esta me seguindo?
-Seguindo você? Que absurdo, isso jamais me passaria pela cabeça! Por acaso ninguém mais pode entrar aqui? Este lugar é seu? Você é a dona? Escreva seu nome lá na porta que eu nunca mais passo nem nesta quadra!
-Mas como você é mal educado! - falei.
-E você é uma maluca neurótica!
-E você é um idiota!
-Sua orgulhosa!
-Grosso!
-Tarada!
-Abusado, pervertido!!!
-Insuportável! Egoísta!!!!
Ficamos trocando elogios até perceber que não só a garçonete que havia chegado estava nos olhando meio confusa, como o resto do povo que comia ali.
Ambos envergonhados, abaixamos nossas cabeças fingindo que não existíamos. A garçonete havia trazido meu pedido, e enquanto Júlio fazia o pedido dele, eu comia rapidamente o meu. 
Não que estava ruim, mas comer e olhar pra ele poderia até me dar congestão! Em três mordidas devorei aquele lanche, depois deliciei-me com um bolo doce e um suco de uva natural. Estava tudo maravilhoso! Mas poderia ter sido ainda melhor se aquele idiota não estivesse ali...
Saí daquele lugar o mais rápido que pude, nem quis aceitar o troco, nunca mais voltaria ali, que vergonha, todas aquelas pessoas me olhando discutir como uma tola sem classe!!!!
Passei o resto do dia procurando emprego, mas todas as lojas que eu tentava estavam cheias ou precisavam de gente com experiência no ramo. Estava muito difícil achar alguma coisa, a única experiência que eu tinha era catalogar livros e passar o crachá!
Já era quase quatro da tarde, estava começando a ficar desanimada, e se passassem os dois meses e eu não encontrasse nada? Iria morar na rua? Minha maior preocupação nem era comigo e sim com Beleíze. Eu a amava tanto que tiraria de mim para dar pra ela, o que quer que fosse. Isso é o que acontece quando não se tem mais ninguém em nossa vida, nos apegamos à primeira coisa que aparecesse e fazemos tudo por ela.
Decidi voltar pra casa, foi um dia cansativo e meus pés doíam, nunca tinha andado tanto, estava até desacostumada e me cansei mais do que o normal. 
Atravessei a rua e comecei a andar em direção à minha casa, quando passei por alguém e esta parou logo atrás de mim - Marina?
Virei surpresa por alguém que não fosse Dona Carmen saber meu nome - Oi? Te conheço?
-Então é assim? Não me reconhece mais, Mari'nerd?
Ao me chamar daquilo, recordei de súbito - Paula???
Ela meneou a cabeça positivamente e corremos para o abraço - Não acredito que é você mesma! como você cresceu!!!
-Claro que cresci, já se passaram o que... Treze anos?
-Nossa, Tudo isso? É tempo demais! Pra mim foi quase uma eternidade!
-Pra mim também!!!
Paula sorriu, como ela estava linda! Me convidou para um passeio e é óbvio que eu aceitei! Tínhamos muito o que conversar!

19 comentários:

Marina disse...

Esses dois brigam o tempo todo, eles se odeiam mais eu acho que um dia vão até se casar kk
Nossa até fiquei com pena da Marina e da Beleíze quando li essa frase (Minha maior preocupação nem era comigo e sim com Beleíze. Eu a amava tanto que tiraria de mim para dar pra ela, o que quer que fosse), se ela for mãe ela vai ser uma mãe muitooo boa ^^

Tulio soares disse...

esses dois estão é se apaixonando.
abraços

Caroline disse...

Não vejo a hora de eles reconheceram que estão apaixonados kkkk
Ai ai, brigas de casal...XD
Xoxo ^_^

David Veiga disse...

Adorei esse capítulo, como sempre adoro os teus capítulos. *w*
[...]pois sua aparência é tão constrangedora que se sairia bem melhor se ninguém pudesse enxergar essa sua cara horrível![...]
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, que má.

Essa amiga dela é uma anjinha que vaio buscar ela. *w* Ela está em dificuldades, e a amiga irá ajudar ela. Uhuuuuuuuuul! \o/ UAHSUAHUSHAUS

Beijos!

Giovanna disse...

Awnn , cheiro de tinta !
Pq ? Tá pintando uma clima ! kkkkkkkkkkkk
Tá ficando muito legal a história jeeh !

Guilherme Pokis disse...

Caramba, esse Júlio não dá sossego, einh?
E agora, Paula vai mudar o rumo da história que já estava imaginando o final, sendo os dois se casando e terem filhos?
hahaha, como você gosta de me deixar confuso, em Jé?
Ri muito nesse capítulo.

Abraços... na espera do próximo.

Cássia disse...

Ohhhhh God, a cada capitulo meu estomago doi de tanto rir... Essa história é fantastica! Quando eles ficarem juntos vai ser uma coisa tão linda! *---*
E essa Paula? Amiga de infancia? Pq será q o aparecimento dela me cheira a "novos problemas"? ou talvez não.. sei lá...
Aguardando o próximo...

Jessica - Ciana disse...

Hahahaha eles não tem nem tempo pra respirar e ja estão brigando de novo rs
Pois é, deu peninha mesmo essa frase, eu peguei fundo nos sentimentos dela hehehe

Beijos querida!

Jessica - Ciana disse...

apaixonando? jura? hahaha eu só vejo eles querendo se matar por enquanto rs

hahha mas quem sabe isso muda! rs

Abraços!

Jessica - Ciana disse...

Hahahahaha!!!
É, eu acho que todo mundo ta ansioso por isso!!!
Mas e se isso não acontecer? uuuu suspeeense xD

Beijos querida!

Jessica - Ciana disse...

Hahah obrigada querido David!!!
É, ela esta ficando durona com ele, não baixa a guarda de jeito nenhum kkk!

Será que essa amiga veio pra ajudar ou pra atrapalhar?

Abração!

Jessica - Ciana disse...

Hahahaha gostei da piadinha Giovanna!!!
Obrigada querida!

Beijos!

Jessica - Ciana disse...

Hahaha nem o Júlio, e nem a Marina, parece que quando um ta quieto o outro cutuca kkkkkkkkkkkk
Hahaha você já tinha um final em mente??? LOL que legal!!!

Eu adooro deixar as pessoas confusas, assim é bem mais divertido!kkk'

Abraços!!!

Jessica - Ciana disse...

Nossa estou causando dores em você com minhas histórias, eu sinto muito!!!!
Hahahahahahahahha

Fico muito feliz de saber que gosta tanto assim!!
Essa Paula, será que veio ajudar ela? Ou veio trazer esses "novos problemas" ???

Hmmm interessante! rs

Abraços!!!

Aníbal disse...

Esses dois... Ainda sai casamento dai u_u' USHAUSHASH'
E se o meu faro estiver certo, essa Paula vai se envolver com o Julio, a Marina ficará com ciúmes e... Eita D; USIHAUHSAUHS'

Beijão, Jeeh! ;**

Megan Den disse...

Rummmmmmmm,eu não sei não viu ! Esses dois ai... vai acabar em casamento e ainda vão ter 3 filhos ! Tudo numa boa hahahaha
Adorei o capítulo , e essa guria chiquérrima ai ? Raiai, espia...

Parabéns pelo capítulo ! Muito bom

Bjocass >O<

Jessica - Ciana disse...

Hahahaha será??
Nossa esse seu faro é muito interessante, vamos ver se você estará certo!!!

Hehehe beijoos!

Jessica - Ciana disse...

Nossa, 3 filhos? Esses dois já tem gênio forte, imagina nascer três filhos puxando esse mau humor todo dos dois kkkkkkkk'

Obrigada querida!!! Abraços!

Dulce Gagaturno disse...

Amei o capitulo, ele foi um dos mais épicos até hoje desta histórias.
Sei que vindo de você vários mais virão.
Só não concordei com a Marina de chamar ele de feio, ele não é feio e sim um gostosão. Okaay desculpas kkk'

Beijos!