❅ 4º Capítulo

Eu havia chegado em casa feito um trapo velho, envergonhada, desanimada e confusa. Tudo aconteceu tão rápido e agora eu me via sem emprego, e sem ninguém...como sempre. Estava caída no chão da sala, foi o primeiro lugar que encontrei para desmoronar. Atolei o rosto no carpete como se estivesse envergonhada até de olhar para Beleíze. Ela se aproximou ronronando e deitou do meu lado como quem quer fazer companhia pra um amigo numa hora difícil.
-Eu não sei como pude ser tão tola assim. Perdi a cabeça com aquele imbecil e agora perdi meu emprego também. É claro que Dona Carmen vai ficar do lado do sobrinho... Aquele peste! Eu sabia.... Eu sabia na primeira vez que coloquei os olhos nele aqui bem na frente da minha porta, sabia que ele não prestava...
Beleíze ficava me olhando como se prestasse atenção e entendesse o que eu falava. Mesmo ela sendo só um gato, era minha única amiga e pra quem eu desabafava sempre que me sentia mal. Continuei - E agora o que eu faço da minha vida? Sem família, sem carinho, sem amor, sem incentivo... Como vou manter a casa? Como vou manter nós duas? - olhei para ela e ela lambeu meu rosto e esfregou a cabeça em mim. Eu não podia fazer minha gatinha sofrer e pagar pela minha irresponsabilidade.
Levantei-me e a peguei no colo - Nós duas vamos dar a volta por cima! Eu não sei fazer nada além de mexer em livros mas... Eu posso aprender! Estou pronta Bebê! Estou pronta para arranjar um novo emprego! Chega de viver naquelas estantes empoeiradas e ter o nariz atacado sempre que aparece um livro bem velho, vou encontrar algo que seja ainda melhor! - abracei-a e fiquei brincando com ela para distrair a cabeça. Eu tinha algumas economias no banco que poderiam me manter bem por um mês ou dois, então eu teria mais ou menos dois meses parar encontrar emprego antes de entrar em crise!
Nisso, a campainha tocou - Quem será... Por favor, não seja uma testemunha de Jeová, por favor!!! - eu realmente tinha pavor deles, falavam demais e coisas que eu não queria saber, pois eu tinha a minha ligação com Deus, porém não acreditava muito nisso depois que Ele levou meus pais. Abri a porta e adivinha, era ele de novo. Ameacei fechá-la mas ele foi entrando na mina casa e falando - Precisamos conversar.
-Eu não tenho nada pra conversar com você, fora da minha casa! - falei brava.
-Eu não vou sair daqui até você me ouvir!
-Pois saiba que eu não tenho nada a ouvir de alguém como você! Um garoto mimado e atrevido, que se acha a última frutinha do panetone, com certeza é um conquistador e as garotas vivem beijando seus pés, mas não comigo! Eu não gosto de homens como você, isso se a palavra 'homem' se encaixar no seu perfil de moleque irresponsável!
Júlio tentou contestar mas eu não dei brecha e continuei falando alto - Seja lá o que te trouxe a esta cidade, espero que te leve embora e rápido! Pessoas como você não duram muito tempo aqui! Se acham espertas e gostam de zombar de gente simples como eu, só porque tem condições melhores de vida! Eu nunca vi ninguém tão insuportável como você! Agora é melhor sair da minha casa ou ligo pra polícia dizendo que tem um maníaco invadindo a minha casa e querendo me estuprar!
Ele não podia acreditar nas coisas que acabara de ouvir. Se sentiu humilhado e esqueceu totalmente os motivos que o levaram à minha casa. Enfureceu-se e começou a gritar - Estuprar você? Não me faça vomitar! Você é a última mulher do mundo que eu pensaria em ter alguma coisa! Você é autoritária, é metida e cheia de maluquices! E como pode me julgar dessa forma sem saber como sou e pelo que passei? Eu não sou irresponsável! Sou um homem maduro e tenho os meus problemas! Não vou ficar aqui ouvindo uma garotinha insuportável falando mal de mim! E é melhor se acostumar comigo, pois não vou me mudar daqui tão cedo! - virou as costas e saiu batendo a porta.
Eu fiquei com tanta raiva que se pudesse arremessaria a minha lareira na cabeça dele! - Como ele pode ser assim tão insuportável, Beleíze???
____________________________________________________
-Como ela pode ser assim tão insuportável? - gritava ele enfurecido dentro de sua casa. Júlio era um cara sempre alto astral, que nunca se irritava com nada e levava tudo sempre na esportiva, mas eu tinha conseguido tirar ele do sério. Estava irritadiço e muito aborrecido - Como ela ousa me chamar de tudo aquilo sem me conhecer? Quem ela pensa que é? A rainha de Nevada? Há! No máximo é a rainha do mau humor! Mas ela vai ver só, ela não perde por esperar, se ela pensa que tudo vai ficar bem e que vou obedecê-la, esta muito enganada!
Tomou o telefone nas mãos e discou alguns números:
-Alô? E ai brow, como é que você ta, meu velho?
-E ai Cadu? Beleza? É o seguinte eu tenho um papo sério pra te mandar! - disse ele.
-Opa! Fala ai brow, o que é que manda?
-Vou dar uma festinha aqui em casa hoje, mas só pra turma! E ai, topa?
-Ah cara, é a mesma coisa de perguntar pra um tarado sexual se ele quer cheirar calcinhas femininas!
-Então 'tarado sexual', tu vem pra cá, trás as bebidas que eu chamo a mulherada!!!
-Demorou, parceiro! Daqui a pouco eu chego ai! Falou! - desligou.
Agora tudo estava planejado, ele não queria uma festa pra se divertir, mas para me provocar. Se eu gostava tanto de paz, iria adorar uma festa de madrugada com som alto...
Eram oito da noite e dois carros chegaram estacionando em local proibido. Deles saíram dois casais e mais uma moça. Entraram, cumprimentaram Júlio e se esparramaram pela sala, o som foi ligado e a balada particular começou!
Era uma da manhã, e eu não conseguia dormir de jeito nenhum... - Mas será que esse inferno não vai acabar nunca? Eu preciso dormir, vou acordar cedo pra procurar emprego! - olhei pela janela e vi os carros estacionados na frente da casa dele - Eu bem poderia imaginar! Mas se ele pensa que vai continuar me atormentando, esta enganado! - peguei o telefone e liguei pra polícia.
Minutos depois, uma viatura chegou, um policial desceu e bateu na porta da casa dele, eu me agasalhei e desci correndo para ver isso de perto. Apontei na porta e fiquei ouvindo.
Júlio abriu a porta e assustou-se com um policial ali - Pois não, senhor?
-Recebi uma denúncia anônima de que estava havendo uma bagunça aqui que envolviam drogados e prostituição, além da perturbação da paz, a lei implica em música alta até as dez.
-O que? Drogas e prostituição? Que mentira, não há nada disso aqui, senhor!!!
-Esta me chamando de mentiroso, rapaz? - ele entrou na casa e falou - A festa acabou, todos vocês, mãos na parede! - as garotas se encolheram num canto do sofá enquanto o policial revistou todos os indivíduos. Depois de não encontrar nenhuma droga, dispensou todos dizendo para irem para suas casa, pois não era hora de festa - Se eu receber outra denúncia, levarei todos para a delegacia, voltem para suas casas se querem o melhor para si.
A turma ficou envergonhada e humilhada, foi a pior festa que ele já tinha feito em toda a história da humanidade! Apontou na porta, despedindo-se dos amigos e depois olhou para o lado e me viu.
Dei um breve sorriso pra ele e balancei a mão como dando um tchauzinho à sua festa horrorosa.
-Aaaarrrgghhh!!!! Essa garota passou dos limites! Se é guerra que ela quer, é guerra que ela vai ter!

13 comentários:

Tulio soares disse...

Vem ai a mais nova história de Jéssica " Guerra dos Sims "
abraços amei o capítulo

Guilherme Pokis disse...

Muito bom este capítulo.
Ri'litros.
hsuahsuahsuahssh.

Esperando o próximo....

Abraços...

Simy (Diários The Sims) disse...

A Beleíze é tão lindaaaa! *-*
Gostei também da denúncia que acabou a festa! kkkkk
Ri muito com a cara que ela fez para ele tipo "vai encarar?" kkkkkk
Adorei esse capítulo, Jeh!!!
Beijos.

http://diariosthesims.blogspot.com.br/

Dulce Gagaturno disse...

Nossa adorei a atitude de Marina ela com certeza foi muito DIVA nesta hora.
Hahahahaah' ela arrasou mandando todos embora através da Policia.
isso me lembra Sr e Sra. Smith não lembro se escreve assim.

Beijos! amando

Marina disse...

Adorei esse capítulo, ri muito. Gostei da atitude da Marina ´kk, e tbm amei o sorriso de vingança hsuhsuhsus.
Beijos!

Jessica - Ciana disse...

hahahahahahah pois é, esta virando mesmo uma guerra!!!
Será que vão se dar bem no final? Ou vão ter se matado de tanto brigar?
hahahah

Abraços querido Tulio!

Jessica - Ciana disse...

Hahaha que booom!!!
Vai ter muito mais pra rir hehehe

Abraços!!!

Jessica - Ciana disse...

É, eu amei a Beleíze, peguei um gato qualquer e deixei toda branca e engordei XD Estilo Garfield em branco kkkk
Dessa vez Marina foi esperta! Denunciou sem dó nem piedade rs
Mas agora Júlio ficou bem zangado, o que será que ele vai fazer pra ela rs

Beijos querida Simy!

Jessica - Ciana disse...

Hahaha foi super diva!
se sentiu a dama de fogo quando encarou ele na porta com aquele sorriso mortal xD

E você escreveu certinho Sr. e Sra. Smith ^^)

Abração!

Jessica - Ciana disse...

\O/ Hehehe Marina pode parecer ingênua, mas quando alguém pisa no calo dela, ela vira bicho xD

Beijos querida Mari!

Ícaro Oliveira disse...

Nossa! Eu saí por alguns minutinhos e já tem mais três capítulos, estou amando a história ok? Acompanhando, adorei os quatro capítulos! :D E como não comentei nos outros dois vou comentar neste aqui!

Acho que a Marina e esse maluco (k eu chamo ele assim e-e), vão acabar juntos! Isso sim! Quando é briga no começo, é amor na certa! Mal espero para ver os outros capítulos e o desenrolar da história, beijos! :D

Gabriel Padrão disse...

Na cara Júlio! Na cara!!! U.U Bem feito... ninguém mandou provocar a moça! KKKKKKKKKKKK
Vamos ver se eles acabam "casando" no final XDD kkkkkkkkkkkkkk
Estou adorando a nova história Jeh! Parabéns! Abraço Gabriel =DDD

David Veiga disse...

Poxa, eu tinha sido o primeiro a ler, pois eu estava no painel do meu blog, e vi actualizações dos blogs que sigo, daí a actualização da história havia sido actualizado "há 12 minutos", como lá dizia. Vim felizão da vida, só que quando fui comentar, deu erro. ¬¬' Mas salvei o comentário no bloco de notas. XD

[...]-Ah cara, é a mesma coisa de perguntar pra um tarado sexual se ele quer cheirar calcinhas femininas![...]

[...]-Recebi uma denúncia anônima de que estava havendo uma bagunça aqui que envolviam drogados e prostituição, além da perturbação da paz, a lei implica em música alta até as dez.
-O que? Drogas e prostituição? Que mentira, não há nada disso aqui, senhor!!!

-Esta me chamando de mentiroso, rapaz? - ele entrou na casa e falou - A festa acabou, todos vocês, mãos na parede![...]
Eu riii muitooo! UAHSUAHSUHASUHAUS

"Dei um breve sorriso pra ele e balancei a mão como dando um tchauzinho à sua festa horrorosa."
Que cínica! AUSHAUHSUAHSH, adoooroo! UAHSUAHS

Beijos!