Capitulo 11.

Santa mãe!!! Eu fiquei estagnada! Não conseguia me mexer! Olhava pra aquilo como se estivesse olhando pra um enorme pote de sorvete de chocolate todinho pra mim...
acho que deixei até escorrer uma babinha no canto da boca, eu estava paralisada, meus pensamentos foram a mil e meu coração então já devia ter se desintegrado de tão rápido que batia...
-Ooii! Ei, tem alguém ai? - disse ele.
Balancei a cabeça voltando a mim, limpei ligeiramente o queixo babado e tentei me recompor - O-Oi!!! Eu acho que me desliguei por um momento!!!!
-Sim, eu reparei! - sorriu encantadoramente - Em que planeta você estava?
"No planeta dos músculos" - pensei comigo - Er... Eu estava pensando em como esta calor hoje não é?
-Sim! Nada como uma boa sombra para refrescar.. Não sei como aqueles malucos conseguem ficar cozinhando o cérebro nesse sol!
Sentei e fiquei sem assunto.... Olhava pra todos os lados mas não conseguia me conter em olhar pra aquele físico de dar inveja....
Então ele puxou assunto - Você deve ser a nova hóspede não é?
-Sim sou eu - falei um pouquinho sem graça - E você, é o tal Monstro?
Ele me olhou meio tristonho e respondeu - Sim! Mas não sei porque me colocaram esse apelido maldoso... Eu não sou um monstro!!!! Sou apenas diferente!
Pensei em falar algumas palavras que o consolassem - Não fique assim, eles não devem fazer isso por mau. Eles gostam de você!
-Gostam? Você acha mesmo? Esta ficando maluca!!! Eles me odeiam, me acham uma aberração!
-Mas eu não entendo, você é um menino tão bonito e eu não vejo nada de diferente, porque eles te achariam uma aberração?
Ele engoliu seco, ficou roçando as mãos e disse - Eu...... Eu..... Olha isso não te interessa, é melhor você me deixar em paz!!!! - disse alterando a voz.
-Nossa.... Me desculpe eu não quis me meter na sua vida! - falei me sentindo mal - Até mais.... Vou te deixar em paz... - E saí da casinha....
Corri até a sala e fiquei sentada lá... Que sensação mais estranha eu estava sentindo.... Queria esganar o mundo e ao mesmo tempo queria me matar....
Porque eu estava naquela casa e porque eu já não morri? Minha vida não tem sentido algum, que diferença faz se eu vivesse ou não? Quem sentiria a minha falta, vejo que nem sou bem vinda aqui, não consigo nem puxar um assunto sem ser indelicada.... Essas coisas estavam me deixando maluca....
Mas fui interrompida em meus pensamentos loucos quando vi o Monstro entrar, antes que eu pudesse me levantar ele correu pra perto de mim e disse - Me desculpe por ter falado com você daquela maneira.... Eu sinto muito, eu não queria ser grosso....
-Se não queria, fez totalmente o oposto.. - falei.
-O que posso fazer pra você me perdoar?
Vi nos olhos nele q ele estava sendo sincero.... Então disse - Esta tudo bem, eu não guardo rancores de ninguém, sabe o que você pode fazer? Me dizer o seu verdadeiro nome, eu não quero te chamar de Monstro pra sempre até porque não te acho nenhum Monstro.
Ele sorriu e num ato de relance me abraçou.
Senti um calafrio percorrer minha coluna e minhas bochechas ficaram coradas, minhas pernas bambearam mas tentei não demonstrar que estava quase derretendo com aquele abraço.
-Tudo bem, é .... Bem, meu nome é Paulo. Muito prazer!!
-E o meu é Brenda, o prazer é todo meu! - nos olhamos e sorrimos um para o outro.... Acho que uma grande amizade vai brotar aqui...








0 comentários: