Capitulo 24. - Penúltimo capitulo!!!

-Corra! Ali, vamos nos esconder!!! - disse Liza.
As duas pularam no meio do mato e ficaram observando o movimento....
Ouviram muitas explosões e muitos tiros... Ficaram até com medo de tomarem um tiro ali onde estavam....
-Olha! Estão saindo!!!
Elas olharam bem escondidinhas e viram que dois homens colocaram Marco no porta mala e um deles chegou depois, carregando Rita.
-O que vamos fazer???? - perguntou Liza.
-Vamos seguir o carro! Quando eles saírem a gente vai de mansinho até ver onde ele vai parar.... Ótima ideia!
Então ficaram aguardando que o carro saísse...
-Hahahahahaha!!! Esses vampiros idiotas nunca aprendem... Ele proliferam tão rápido e mesmo assim não conseguem lutar contra um veneno tão forte em suas veias! - dizia Cleo sarcasticamente.
Enquanto eles riam e comemoravam o absoluto sucesso da operação, ficavam assistindo tudo desmoronar...
Lá dentro, tudo estava em chamas e o fogo não demoraria a comer tudo....
Eu sentia muita dor quando pensava que meu simples plano de apenas fugir daquele bordel acabou se tornando um pesadelo e eu que desprezava a raça nojenta dos vampiros acabei me apaixonando por um deles e agora já achava que estava morto....
-Estamos prontos! - disse um dos homens.
-Ótimo! Pode apertar! - ordenou ela.
Eles apertaram uns botões em um controle e de repente tudo começou a explodir!!!!
-Vamos dar o fora daqui, rápido!!!
Entraram no carro e deram partida...
-Estão indo Denise!!!
-Rápido vamos atrás!!!!
Ambas saíram correndo a ponto que iam se escondendo no meio da mata escura enquanto iam seguindo o carro, mas como vocês sabem, seria pouco provável que um plano desses desse certo...
-Não aguento mais correr! O carro já esta longe demais! Quase nem o vejo! - disse Liza exausta.
-Sim, eu também estou cansada.... Mas precisamos continuar ou a perderemos de vista!
-Eu acho que já perdemos....
As duas se entreolharam e notaram e estavam sozinhas no meio da estrada e o carro vermelho havia desaparecido na noite...
-E agora o que a gente faz? Já era né..... Você devia ter notado que seu plano era bom mas tinha uma pequena falha... Como duas pessoas poderiam seguir um carro andando e se escondendo.....
-Okay Liza, já entendi! ... Mas eu não desisto, aquela garota salvou as nossas vidas, temos uma conta a acertar com ela... Vamos pra cidade, lá poderemos perguntar pra alguém se viram um carro vermelho, eu memorizei a placa...

Algumas horas depois, num lugar escuro e fedorento.....

-Meu Deus eu pareço que fui atropelada, parece que um caminhão passou com todas as rodas em cima da minha cabeça.... Hãm? Onde estou? O.. O que? Um cela? De novo? Aaaaa mais que saco!
Eu estava muito decepcionada comigo mesma... Me sentia um lixo com presas.... Como pude deixar que isso tudo acontecesse? Mas também o que uma simples garotinha poderia fazer contra pessoas tão fortes e tão bem armadas....
Levantei-me com dificuldade, e observei o lugar onde estava... Era nojento, fedia a comida em decomposição e eu estava me sentindo muito mais sozinha que antes...
Aproximei-me da grade e comecei a berrar - Alguém que tira daqui!!!! Alguém, por favor!!!
-Cala a boca branquinha! Fica de boa ai se não quiser tomar um choque! - disse um homem de preto que parecia estar me vigiado..
-Porque me trouxeram aqui???
-Isso não é da sua conta garota!
-É claro que é! É da minha pessoa que estamos falando e ela foi trazida para um lugar sem o seu consentimento!!!! - falei.
-Fica quieta! - disse o homem - Se eu entrar ai você vai se arrepender!
-Você não teria coragem! - falei atiçando-o - Se entrar aqui tiro todo o seu sangue! Sabia que ainda não fui alimentada?
O homem deu um passo atrás e sentou-se numa cadeira.... De repente chegou Vitor, entrando com Cleo, que para ele era conhecida como Rud.
-Boa noite senhor! - disseram os homens em conjunto.
-Onde ele esta? Quero vê-lo!!!! - disse Vitor com expectativas.
-Ali esta ele chefe, na cela três... - falou Rud.
-Mas vejam só!!! - exclamou Vitor - Não é que é real? Mas ele não parece tão forte como me disseram que era....
-Senhor, aplicamos um veneno nele... Por isso esta fraco, pode morrer a qualquer momento.... - disse o homem de preto que guardava a cela dele.
-Bom! Se ele tentar sair você atirem a vontade.... Apesar que ele me parece um fracote... E a garota? Onde esta ela?
-Ali, cela dois.
"Quem será que esta na cela ao lado?" -pensei... Mas não dei sinais de que sabia... Afinal, presa eu não poderia fazer nada....
-Mocinha, mocinha... - disse Vitor aproximando-se - Você me deu o maior trabalho para encontra-la sabia? É... Eu tive que gastar muita grana pra poder te achar...
-Quem é você? E o que quer comigo? Não lhe fiz nada!!! - falei.
-Minha querida, esta na cara que você não sabe de nada não é.... Sua querida tia Eva cuidou de você a meu mando... Mas você fugiu e estragou meus planos... E agora vai sofrer as consequência e vai morrer porque você já não me serve pra nada...
-Mas se não lhe sirvo pra nada então me solte! Não há razão para me manter aqui!!! - implorei.
-Mas é claro que há! Você vai me fazer um último servicinho antes de morrer.... - disse Vitor - Vamos, tirem-na daí!
-Eu não vou fazer nada pra você!!! - falei entredentes.
-Ah você não vai ter escolha... Acredite - riu Vitor.
-Mas chefe? Ela é uma vampira e não esta com o veneno!!! - disse um dos homens.
-Ela, pelo que pudemos analisar enquanto dormia e dos dados que me chegaram, foi mordida por uma vampira que foi humana cujo os poderes passado não devem ser tão fortes, e ainda não deve ter sido alimentada e esta bem fraquinha... Agora tirem ela!
Então eles abriram a jaula e apontando as armas pra mim, foram me tirando de lá a ponto que eu dava pequenos passos com medo de ser baleada....
-Muito bem... Agora você vai me ouvir com atenção.... - disse Vitor - Se você der um passo que não for do meu comando, você morre, se tentar fugir, morre, e se tentar morder alguém aqui... Am deixa eu ver... Morre!
Não tinha como eu não obedecer, ele pedindo com toda essa educação como eu poderia negar? Ou talvez fossem as armas que estavam sendo apontadas direto na minha cabeça...
-Tome cuidado mocinha... E agora, vou levar você a um lugar muito especial....
Eu olhava para aquelas pessoas e só enxergava ganancia em seus olhos, ganancia, vingança, raiva e solidão... Aquelas coisas me davam medo.. E agora com aquele turbilhão de informações e coisas acontecendo, eu estava muito abalada, muito frágil...
-Levem-na... Até a cela sete, no outro corredor... - ordenou Vitor sorridente.
Fomos andando, eu ia bem devagar com as mãos para trás demonstrando que não tinha nenhuma intenção de tomar um tiro...
-Querido.... Quanto tempo mais vamos ficar aqui?
-Não sei Franccesca... Temos que aguentar, temos que ter fé!!!
-Mas Giuvanni! Meu amor... Estamos aqui a quase quinze anos, e a nossa menina.... Nunca mais iremos vê-la, não vamos sair daqui com vida!!
-Minha linda não pense assim, vai dar tudo certo!!!!
-Desculpem interromper esse momento tão romântico entre o casal mas eu lhes trouxe algo....
-Vitor? O que você quer agora? Sabe que estamos fazendo o possível mas você não nos forneceu material suficiente e...
-Cale a boca Giuvanni... Vocês levaram quase quinze anos para fazer essa maldita poção e até agora nada... Eu sei que as descobertas levam tempo, e que grandes experiências devem ser testadas mas vocês abusaram do meu precioso tempo... Todas as poções que fizeram até hoje não deram em nada! A maioria das cobaias morreram, vocês queria me matar não é? Mas como sou um homem muito tolerante e generoso, vou desistir dessa experiência ultrapassada e liberta-los....
-Esta falando sério? - perguntou Franccesca.
-Mas é claro!!!!! Não existirá lugar melhor para onde mandarei vocês.... Vamos, coloquem ela lá dentro...
Eles abriram o portão da cela e apontando as armas para mim, me fizeram entrar lá com aquelas pessoas...
-Tranquem eles! - ordenou Vitor com sorriso nos lábios..
-Mas você disse que ia nos soltar?! - exclamou Giuvanni.
-Sim eu disse... E vou! Vou libertar vocês desse corpo carnal e manda-los para o céu... Ou para o inferno, nunca se sabe ...Já ouviram falar do paraíso? Se forem para lá me mandem um postal hahahaha....
-Seu filho da mãe!!!!!! Mentiroso! Canalha!
-Cale a boca mulher! E divirtam-se com sua filha, acredito que tenham muito o que conversar.... - e foram embora.
-Filha?! - arregalei os olhos... então era verdade? Meus pais estavam vivos e agora estavam ali na minha frente?
-Giuvanni! É a nossa menina!!!! - exclamou Franccesca muito feliz - É a nossa Marina!!!
-Mas ela esta tão diferente!!
-Isso porque eu fui mordida por um vampiro.... Espere, Marina? Eu me chamo Rita!
-Sim... Sabemos disso... Vitor nos tirou você quando tinha apenas três anos... Ele queria que fizéssemos uma experiência para ele e para nos obrigar, disse que a manteria em cativeiro até que fizéssemos o que ele queria e só assim te libertaria... - Eles sorriram e então pude ver que eu encontrei aquilo que pensei ter perdido a muito tempo.... Nos abraçamos gostosamente e para mim aquele momento não acabaria nunca mais..
-Minha filha, eu rezei tanto por esse momento!!!
-Eu também.... Mãe! - Ai como era bom pronunciar essa palavra!!! Mãe! Mãe! Mãe! Mãe! Mãe! ... Não me cansaria nunca..
-Espere... Não me sinto bem.... - falei um pouco zonza.. Eu sentia o cheiro da pele deles, podia ouvir seus corações baterem de longe e ouvia o sangue deles pulsando e circulando pelos seus corpos...
-Não! Saiam de perto de mim!!!!!!! Saiam!!!! - empurrei-os.
-O que foi minha filha? - perguntou franccesca.
-Agora eu sei qual era o serviço que Vitor queria que eu fizesse... ele sabe que eu me transformei em um vampiro e sabe que não me alimentei ainda.... Vocês correm perigo perto de mim! Se eu me descontrolar não sei o que posso fazer!!!!
-Meu Deus, um vampiro? Não é possível!!!! - disse Giuvanni.
Mostrei as presas pra eles, e ai acreditaram... - Por favor não se aproximem!!!
-Mas precisamos ajudar Giuvanni! É a nossa filha que esta necessitando e nós agora!!!!
-NÃO CHEGUEM PERTO!!! - gritei... Eu estava sentindo agora muita dor.... Minhas pupilas estavam dilatando e eu sentia o cheiro do sangue deles e aquilo me fervia de desejos que não eram meus.... Jamais machucaria meus pais, ainda mais agora que descobri que os tenho! Mas era mais forte que eu.... Eu não iria conseguir me segurar por muito tempo....
-AAAHH!!!! - gritei de dor e caí sentada.... A garganta seca começava a fazer o sangue deles parecer mais apetitoso e o calor da pele deles me fazia deseja-los mais que tudo....
-Querida acalme-se, respire fundo, nós vamos achar um jeito!!!!! - disse Franccesca.
-Ela não parece nos ouvir querida... - desconfiou Giuvanni.
-Sim... eu Ouço.... Eu ouço .... - falei parecendo não ser eu ali - Eu já achei um jeito... Um jeito bem delicioso... Tenho fome.... Muita fome...

1 comentários:

Anônimo disse...

Amei seu blog parabéns me chamo Gabriela