Capitulo 15.

-Eu tô horrível né? Já até sei... - falei triste.
-Não, esta perfeito!!!! - exclamou ele surpreso.
-Sério?
-Sim!!!! Ninguém vai imaginar que é você!!!!
-Nossa, então isso é bom né?!
-Muito bom!!!!
Eu estava parecendo a Maria Gadu rs.... Mas ao menos estava bem diferente daquela uva horrível, e da verdadeira Rita.... Não era um visual que eu gostasse, mas meu cabelo já estava curto, não tinha muito o que fazer com ele, graças ao bom Deus eu tirei aquela cor azul amora, e agora me sentia uma moleca...
-O que vocês estão fazendo aqui?? - disse um homem que apareceu do nada.
-Nada não senhor, já estávamos de saída!!! - disse Paulo pegando na minha mão e saindo correndo enquanto me puxava junto.
Corremos bastante até a loja desaparecer de nossas vistas, enquanto que ele ria e sorria....
-Isso não é divertido??? - dizia completamente feliz.
-Não sei.... Por enquanto o que sinto é medo, não parei pra ver a adrenalina correr aqui - falei de voz trêmula enquanto corríamos.
Chegamos frente a outra loja...
-Pra onde vamos agora? - perguntei meio cansada de correr...
-Já fomos e chegamos, vem comigo... - disse ele entrando na loja.
-O que vamos fazer ai??? Me espere!!!!
Entrei correndo atrás dele ... e notei que ali era uma lavanderia.... Mas o que iriamos fazer numa lavanderia?
-O que estamos fazendo aqui?
-Óra, o que acha? Mudamos nossa cara agora mudamos nossa roupa!! - falou ele sorrindo.
-Mas, mas .... Isso é roubo!
-Não .... É uma pequena caridade.... Para nós, pegamos deles o que eles não precisam...
-Se não precisassem, acha que estariam lavando elas?
-Para de reclamar e escolhe logo uma máquina! - disse ele - Você quer fugir daqueles malucos ou não?!
Ele estava certo em parte.... Eu precisava me camuflar.... Mas aquilo era errado, e mesmo me sentindo mal, acabei por fazer...
Abrimos cada um uma máquina e pegamos umas roupas que estavam secas dentro delas....
-Vai lá no banheiro feminino e veste tudo, tem uns sapatos bem ali encostados.... Escolhe um do seu número e coloca.... Seja rápida, pelo visto estamos dando sorte, não tem ninguém aqui! - falou Paulo todo empolgado.
-Ta bom.... - falei ainda me sentindo muito mal por estar "pegando emprestado" todas aquelas coisas que não eram minhas..
Entramos cada um num banheiro, e nos trocamos...
Levei alguns minutos pra poder me vestir, a máquina que escolhi não tinha nenhum super conjunto de roupa, acho que eram roupas de um adolescente, mas eu queria trocar....
-Paulo... tá ai? - falei alto do banheiro.
-Tô, o que você quer?
-Posso trocar de máquina?
-Não! Parece que tem gente, estou ouvindo barulhos.....
-Droga.... Posso sair elo menos?
-Já devia ter saído ... - falou.
-Como estou? - perguntei saindo do banheiro.
ele não se conteve e riu bem na minha cara - Você .... Tá uma gracinha!!!!
-Muito engraçadinho senhor "Gatinho do amor" - falei indicando a camiseta que ele tinha pego.
-Não enche ta legal? é roupa de homem!!!
-Sei!!!! Pelo visto a minha também!
Ele riu de novo.
-Vamos logo embora daqui! - falei brava.... Estava me achando uma zé machinho.
Saímos correndo e fomos dar num campo aberto com um pequeno pasto que parecia abandonado..
Pulamos a cerca... - Perfeito! - disse ele observando o lugar - Vamos ficar aqui essa noite, e amanhã saímos para comer alguma coisa.
-Como assim? Vamos ficar aqui? No meio desse monte de feno?
-Você esperava o que princesa, uma cama com colchão de molas e espumas macias e longas cobertas de bichinho? É o que tem! - disse ele enquanto se acomodava no chão - Aproveita e curte o momento... Não sabemos até quando essa liberdade vai durar....
"Homens...." - pensei.. Caminhei até perto de um pássaro que ali bicava algumas minhoquinhas que pulavam na terra e fiquei a observa-lo...
-Como seria bom ser livre feito um pássaro, né amiguinho? - falei com o bichinho que parecia nem me dar atenção - Como você é sortudo por ter essas lindas asas....
-Sortudo por ter asas? Por ser livre? Isso aqui é a verdadeira liberdade princesa! - disse Paulo intrometendo-se no meu bate papo particular com a ave.
-Não se mete no papo por favor? - falei me aproximando dele - E para de me chamar de princesa okay? "Isso" - falei apontando para o meu redor - Não é liberdade! É uma prisão! Uma prisão de medo!! e "isso" - falei apontando minhas roupas - É roubo! E não é legal! Não sei como fui deixar você me convencer a fazer isso!
-Qual seu problema? - disse ele depois de levantar - Eu não convenci você e nem forcei a absolutamente nada! Você fez o que fez e foi tudo por conta própria!!!! Não venha jogar a culpa em mim! Não gosta dessa liberdade? Acha que isso aqui ao nosso redor, esse campo aberto, o céu pleno e limpo, acha que isso tudo é uma prisão? Então volta pro colo da mamãe!!!
Aquilo tocou fundo meu coração.... Ele foi longe demais....
-Escuta aqui seu ladrãozinho de uma figa! Cala a sua boca!!! Lava ela antes de falar dos meus pais, porque eu nem se quer os conheci! E sabe o que mais? Eu nem devia estar aqui? Devia estar procurando por eles, mas acabei me deixando levar pelo seu charme, seu sorriso e seu papinho! Vou-me embora!
-Isso! Vai mesmo! Só que desta vez eu não vou atrás de você quando você for raptada de novo e não vou estar lá pra te ajudar!!!!
-EU NÃO PEDI A SUA AJUDA!!!! - gritei. Cruzei os braços roçando meus ombros, e caminhei cabisbaixa até a cerca...
-Faz um favor? Me esquece! Sua mimada....
Lágrimas escorreram dos meus olhos .... Mas não dava mais .... Acabei de perder um grande amigo por uma discussão idiota, mas meu ego e meu orgulho não me deixam voltar e implorar perdão... O que ele disse me machucou muito .... Acho que esta na hora de fazer meus próprios passos e sozinha, sem roubar, sem enganar.... Ser a Brenda só me deu dor de cabeça... Chega de ser quem eu não sou....

0 comentários: