Capitulo 19.

Dois meses se passaram....

Eu aprendi a conviver com a dor de ser humilhada e abusada todas as noites, estava sempre de maquiagem borrada, pois sempre me pegava chorando pelos cantos....
Acordamos eram cinco horas da tarde, pois dormíamos de dia para "trabalhar" a noite.
-Como você permitiu que aquele sujeito entrasse novamente aqui? - gritava Marco.
-Eu não sabia que era ele, ele estava disfarçado e deu outro nome! - explicava Jéssica.
-Você sabia que ele voltou mais três vezes aqui, e nessas três vezes conseguiu machucar três da minhas meninas?
-Elas vão se recuperar chefe! São só vadias....
-SÃO SÓ VADIAS? - explodiu ele cheio de ódio - SÃO AS VADIAS QUE FAZEM O MEU NEGÓCIO CRESCER!!!
-O senhor esta se referindo a que exatamente? - indagou curiosa.
-Ao estabelecimento é óbvio! Elas é que alimentam meu bolso!
-Somos vampiros chefe, podemos entrar em bancos sem que ninguém nos veja, porque se dar ao trabalho de expor nosso esconderijo contrabandeando a prostituição?
-Jéssica..... Suma da minha frente antes que eu perca a paciência com você outra vez.... Mas antes, traga a Delícia aqui.
-Mas Marco?!
-AGORA!!!
Elas se calou, concordou com a cabeça e se retirou..... Chegou na cela e berrou - Delícia! O chefe quer te ver.
Estávamos conversando Liza, Denise e eu, tentávamos bolar uma maneira de fugir daquele lugar horrível, já não estávamos mais aguentando o sufoco que era todas as noites....
-Vai lá amiga, boa sorte! - disse Liza.
-Obrigada. - sorri. Faziam dois meses que eu não entrava naquela sala assustadora... Será que vai ser coisa boa? - Saí da cela e acompanhei Jessica até a sala do chefe.
-Vamos, entre logo! - falou empurrando-me porta a dentro.
-Olá Delícia.... Muito bom te ver novamente! - disse Marco. Lá todas as garotas tinham um apelido, ninguém se importava com o nome delas....
-Olá.... chefe. - falei totalmente sem graça e com medo.
-Não precisa ter medo, eu não vou te morder - riu - Ouvi muitos elogios de você sabia?
-De mim? - perguntei - O que eu fiz?
-Meus clientes gostam de você.... Dizem que você é realmente uma Delícia!
Jéssica não estava gostando nada daquela conversa. Ela nunca viu Marco se interessar tanto por uma reles humana, tão pequena e tão frágil, como alguém poderia adorar uma coisa fraca assim?
-Tenho uma má notícia para você - disse ele olhando fixamente em meus olhos. Eu gelei completamente, já pensei de cara "ou ele vai me morder ou ele vai me matar..."
Fiquei em silêncio como se esperasse pela próxima frase que anunciaria o meu fim.....
-Você não vai mais trabalhar para meus clientes.... vai trabalhar pra mim...
-O QUE???? - exclamamos juntas Jéssica e eu.
-Marco!? Você não pode!! Os clientes vão reclamar!!!! Não pode retira-la de lá! - reclamava ela.
-Cale a boca Jéssica, já disse.... Minha decisão esta feita. Meus clientes já usufruíram demais de minhas propriedades... Eles ainda tem as outras... Agora vá, leve ela e a transforme!
-Co-Como .... como é??? - gaguejou ela.... Temendo perder a vaga de braço direito do vampiro mais temido da cidade...
-Transforme a Delícia! Deixei ela ainda mais linda, quero uma produção de ponta! E depois a traga para mim...
-Certo! - gemeu ela com ódio nos lábios - Vamos logo menina!
Saímos da sala e ela me levou até uma outra sala para a transformação.... Eu estava com medo, espero que a transformação não seja de me fazer humana para vampira!
Entramos na sala, ela fechou a porta e logo me empurrou com tudo na parede e começou a gritar comigo - Quem você pensa que é sua vadiazinha? Você não vai tomar o meu lugar esta ouvindo?? NÃO VAI!
-Eu não quero  seu lugar!!! - falei apavorada. É agora que eu vou morrer mesmo!
-Esta pensando que só porque os clientes gostam de você, que Marco também vai gostar?? Pois saiba que ele é mil vezes pior que o cara que te causou essa cicatriz nos lábios!!!!Você vai sofrer tanto lá que vai me implorar para sair de lá e voltar ao que fazia antes!
Meu coração acho que já nem batia mais, eu nem mais o sentia de tanto medo! Eu estava perdida..... Se ele é tudo isso que ela esta falando, vou morrer naquela sala no primeiro momento que ele me agarrar....
Ela me produziu e mudou meu cabelo, passou batom pra disfarçar o machucado e me levou de volta.
-Tome muito cuidado com as presas dele, ele adora morder quando esta excitado! - dizia Jéssica me botando ainda mais medo.
Entramos na sala mais uma vez, eu estava quase fazendo xixi na calcinha....
-Ficou magnífica! - exclamou Marco - Muito bem Jéssica, agora já pode sair...
-O que? Mas eu sempre fico aqui com você!?
-Eu disse que já pode sair! - zangou-se curvando as sobrancelhas.
-Sim senhor..... - rosnou olhando em minha direção.... 
Eu estava mesmo perdida, uma vampira me odiava e um vampiro pelo que parecia, estava me adorando, o que deixava a vampira que me odeia com mais ódio ainda, e vampiros com ódio não são uma coisa muito legal de se presenciar..
Jéssica saiu da sala batendo a porta.....
Então Marco deu uma volta ao meu redor, me observando em 360 graus, e foi me conduzindo para perto das estantes de livros enquanto ia falando - Sabe, na primeira vez que você entrou aqui.... Senti o perfume da sua pele e fiquei alucinado, ainda assim não consegui me aproximar porque sua aparência era horrível... Mas agora, já se passaram dois meses, e você esta linda....
Eu não falava uma palavra, apenas deixava ele me conduzir e fazer tudo ali, não queria nem irrita-lo com algo errado que eu pudesse falar e nem queria provoca-lo ainda mais.
-Meus clientes dizem que você é bem fria.... - a maioria dos clientes dali também eram vampiros, todos assustadores, um pior que o outro, a regra da casa era "não transformar nenhuma dançarina" e todos respeitavam isso, pois temiam Marco que era um puro sangue da classe mais alta dos vampiros - Eu adoro garotas frias, sem sentimento, sem nada..... - enquanto isso, ele foi retirando sua roupa e eu continuava inerte.
-Vamos provar um pouco dessa frieza.... Quero ver se é verdade o que dizem..... - falou pegando-me e deitando-me no chão próximo a estante e a cadeira.
E assim foi.... Ele nem se quer retirou minha roupa. Apenas a calcinha.... Que é um incomodo para todos os homens.... Marco me possuiu ali em sua sala fria e triste, enquanto que eu fazia a mesma coisa que fazia com todos os outros.... Nada.
Ficava quieta, as vezes escapava um suspiro ou um leve gemido, mas fora isso, eu era uma geladeira.... 
Quando isso iria acabar? Eu não sei, mais agora eu já sabia por onde começar o meu plano para escapar dali....

1 comentários:

Anônimo disse...

Tadinha! eu queria estar ali para dar um soco na cara deles, e para fazer as coisas que ela faz.