Capitulo 8.

-Eu não entendi sua insinuação Felipa! Em momento algum eu dei em cima de quem quer se seja! - falei assustada.
-Deixa de ser sínica! Eu vi com meus próprios olhos ta! Aquele, o da camisa verde, que te chamou de gatinha e tudo, ele é o Jonathan, o MEU JONATHAN! E você destruiu tudo!!!! - berrava ela descontrolada.
-Felipa para de neura! Eu nem se quer olhei pra ele direito! -  tentei me defender, eu realmente nem havia prestado atenção neles, estava mais preocupada com a maneira com que me chamavam de uva do que com a aparência deles...
-Não! Você acabou com meus sonhos! Você viu? Viu? Ele te elogiou de montão, e quanto a mim? Nem me notou, nem me reconheceu!!!! Nem falou comigo!
-É claro que falou, os dois falaram com você, quiseram falar mais você foi incrivelmente rude com eles! - falei ficando irritada.
-Eu não fui rude, eu me defendi antes que pudesse me zoar como fazem na escola!
-Mas você esta diferente, você esta mudada! Eles só queriam te conhecer, não iam te zoar!
-E como você pode saber? Eu convivi com eles me amolando o ano todo! Não venha me dizer o que eles iam ou não fazer! E quer saber mais? Eu vou embora!
-Ótimo! Então vamos!
-Não minha querida, EU vou embora, você nem pense em pôr os pés na minha casa! - berrou.
-Mas a minha roupa e meu chinelo estão lá! E quanto a essas roupas que estou usando, você não quer de volta?
-Não quero nada! Pode ficar, uma roupa a menos no meu guarda roupa não vai me fazer diferença! E quanto as suas coisas, passa amanhã lá na frente de casa que vão estar na lata de lixo! Sua traíra!
Me ofendeu, gritou comigo, e depois saiu correndo chorando....
Eu não entendi absurdamente nada! Eu nem falei com aquele moleque direito!
Fiquei muito brava e ao mesmo tempo muito triste, como uma pessoa se descontrola dessa forma?
Olhei em direção de onde estavam os garotos, e eles ainda estavam lá, bufei e fui descontar minha maré de sentimentos confusos em cima deles...
-Seus filhos de uma égua! - gritei lá de longe. Eles se espantaram e olharam pra ver quem era e se era com eles.
-E! Qual foi uvinha? Ta maluca?
-Cala a sua boca Johnny porque eu não quero papo com você! - falei irada - Escuta aqui seus moleques, quem vocês pensam que são para zoar a minha amiga hein? Ela ficou muito magoada!
-Qual foi menina, a gente nem conhece aquela doida! - disse Celo.
-Conhecem sim! Se lembram da Nariz de Porca? Ou é Queimadinha o apelido que deram pra ela?
Eles se entreolharam e logo lembraram de Felipa - Xi moleque! Era aquela mina lá da escola que a gente pegou no pé dela o ano todo... - disse Johnny.
-Sim! E ela ficou traumatizada com vocês! Eu estou cansada de ver as pessoas maltratando as outras!
Os dois se olharam novamente e Celo disse - Ai mané, vamos dar o fora daqui, eu não tô afim de ficar ouvindo sermão ta ligado!
Os dois saíram correndo e me deixaram falando sozinha..... - E podem fugir mesmo seus bunda moles! De meninos idiotas como você o mundo esta cheio!!!! Filhos da mãe!!!! - gritei.
-Essa mina é maluca velho, vamos fugir daqui.... - disse celo enquanto corria.
-É... Sei lá, a Queimadinha tava tão diferente, tu sacou como ela tava bonita? - disse Johnny.
-Cala a boca moleque ou a louca ali atrás vai achar que estamos zoando a amiga dela e é capaz de correr atrás da gente....
Fiquei desolada.... Depois do meu momento de fúria ter passado, o que restou foi só a solidão.... Sentei na beirada da fonte e fiquei ali pensando na vida...
-Novamente sozinha.... - pensei comigo mesma - E agora? Pra onde eu vou? Voltei a estaca zero... Não acredito que perdi a primeira amiga que tive sem ter feito absolutamente nada....
Fiquei sentada ali o resto do dia... praticamente o dia inteiro.... Quando sentia fome, bebia água do banheiro público....
De repente dois rapazes que passavam por ali, me viram...
-Olha, o que é aquilo ali na fonte?
-Sei lá, esta meio difícil de enxergar, tem alguma coisa azul ali...
-Vamos lá ver?
-Demorou!
-Ei, esta perdida moçinha?

0 comentários: