(◡‿◡✿) Capítulo 10.

Fernando buzinou e ela saiu toda maravilhosa, andando como se desfilasse. Ao vê-la tão diferente de quando a encontrou pela primeira vez, mal distinguia ser a mesma pessoa.
Ao entrar no carro, ele não pôde deixar de elogiá-la - Você esta muito bonita.
Ela corou de leve, mas em seu íntimo haviam milhões de borboletas rodopiando de alegria - obrigada, o senhor também esta - sorriu.
Os dois seguiram para um restaurante lindo! Ela ainda não conhecia bem a cidade, e ao ver um lugar tão encantador, abriu a boca de tão impressionada. Lá, ele parecia ser muito conhecido, o recepcionista e os garçons sorriam ao vê-lo e o cumprimentavam pelo segundo nome, perguntando em seguida se era o de sempre – Não Edgar, hoje eu quero o especial da casa, acompanhado de um Borleau 98, por vafor.
Ele anotou o pedido e dirigiu o olhar a ela, esperando o seu pedido – e a senhorita? – ao ser chamada assim, ela corou e deu um leve sorriso, feliz por não terem notado sua idade. Ela não sabia o que pedir, nunca tinha ido num restaurante fino e no menu só tinha pratos estranhos que ela não sabia o que era. Fernando notou sua que ela parecia desconfortável, e disse – gosta de macarrão?
Ela balançou a cabeça dizendo que sim – então traga um Spaghetti para ela, obrigado - respondeu ele.
O garçom se retirou e ele disse – você esta bem?
-É que eu nunca tinha vindo em um restaurante tão lindo e fino, fiquei sem jeito, me desculpe.
-Não se desculpe – ele sorriu pela primeira vez – isso é normal, mas não pense que a trouxe aqui por ser fino, é que a comida daqui é a melhor que eu já provei em toda cidade!
-Por favor, jamais pensaria algo assim do senhor.
-Bom, não estamos num ambiente de trabalho, você pode deixar de lado as formalidades e me chamar apenas pelo meu nome – sorriu novamente.
Este parecia ser um outro Luiz Fernando para ela, pois ele era sempre muito sério, e de repente estava sorrindo e sendo amigável e simpático com ela. Ele não queria que ela se sentisse inferior ao ambiente, até porque ela não era, queria descontrair o momento pra que ela se soltasse e ficasse confortável.
-Obrigada por fazer eu me sentir bem, eu estou adorando almoçar com você.
-Aos poucos você vai se acostumando – ele inclinou seu corpo na mesa chegando mais perto dela e disse – e vai descobrir que tudo ficar mais refinado se falado em outra língua aqui.
Ela soltou um risinho tímido, o que o deixou muito satisfeito, ela parecia ser uma mulher que guardava certo sofrimento, e ele queria fazê-la sorrir pra esquecer um pouco os problemas – então – ele puxou assunto – você havia dito que mudou-se recentemente pra cá, certo?
-Sim.
-E eu poderia perguntar porque?
Aquele era um assunto embaraçoso, ela não queria falar de Carlos para ele, sempre lhe trazia péssimas lembranças – bom, minha mãe nasceu aqui e sempre morou aqui, quando me casei, mudamos para a cidade grande, mas agora decidi voltar pra cá, respirar os ares da minha cidade natal.
Então a comida chegou e cortou o clima que estava surgindo. Quando o garçom colocou seu prato, ela viu que aquele tal de Spaghetti não passava de macarrão coberto com legumes. Ao experimentar a comida, sentiu uma explosão de sabores viajando em sua boca, e entendeu porque ele elogiou aquele lugar - que sabores fantásticos! Isso é um manjar dos Deuses – ela sorriu.
-Eu disse, a comida daqui é a melhor de toda cidade! Obrigado Edgar – ele deu uma gorjeta gorda ao garçom, que sorriu e agradeceu. Fernando estava muito satisfeito por ela estar gostando da comida, mas principalmente de sua companhia. Não conseguia entender o que o fazia sentir certa atração por ela, o que há muito não sentia por nenhuma mulher. E por isso, não resistiu em retornar ao assunto anterior e fazer a temida pergunta.
-Você é casada? – perguntou ele, tentando esconder certa decepção no olhar.
-Fui – respondeu – Mas nos separamos. Se não se importa, eu não gostaria de falar sobre ele.
Ele respirou aliviado – imagine, não há a necessidade, desculpe minha intromissão.
-Esta tudo bem – ela tentou sorrir, escondendo o constrangimento do momento – mas, me disseram que o café daqui não é muito bom e isso me inspirou ainda mais a querer abrir o meu, é verdade? – mudou de assunto.
-Totalmente. Mas tenho que confessar que há um café incrivelmente perfeito que surgiu aqui.
-sério? – preocupou-se – onde???
-Num certo café que eu acabei invadindo num péssimo dia de chuva – sorriu sem jeito.
Ela sorriu percebendo a brincadeira dele – Ora aquilo foi um pequeno mal entendido, mas já esta tudo bem.
-Eu realmente sinto muito pelo que fiz, mas por um lado, ter conhecido você, me fez ver que valeu a pena ter cometido esse deslize.
Ela corou, sem palavras pra responder, sentiu um desejo estranho de dizer algo parecido, mas ficou com um certo medo, e acabou deixando a oportunidade escapar... Pensou que não fosse o momento ideal para tentar encantá-lo, ela dizia pra si mesma que se tiver que ser, vai ser, e será espontâneo.
Passaram o resto da tarde conversando sobre assuntos variados, e ele falou sobre o que Marcela lhe contou e pegou o telefone de Luizinho para entrar em contato com ele mais tarde.

Após terminarem o maravilhoso almoço, ele a levou de volta e se despediram-se com um sorriso meigo e sem jeito pra outro tipo de despedida, mas no impulso do momento, ele beijou sua face, e a esperou entrar e fechar a porta, para seguir até seu escritório.

8 comentários:

Layla disse...

Amei ! Que jantar hein ,adorei o clima que rolou entre eles.Acho que a Helena deve se entregar mais ao momento kkk

Jessica - Ciana disse...

Quem sabe ela não esta com medo de acabar sofrendo novamente.
Vamos ver no que dá né heheheh

Abração!

Juliana Estefane disse...

Adorei o clima entre os dois!
Será que vem um novo romance por aí?! Aiin torcendo por isso!

Beijos da Ju

Cássia disse...

Awnnn amei o capítulo. A Helena merece um novo romance, e que dessa vez termine bem.
Mas ainda estou curiosa com o ex-marido. Só eu que quero conhecê-lo????
E ainda estou preocupada com a Marcela.
xoxo

Lalilas disse...

Concordo com a Helena, tem que ser algo espontâneo!
Adorei o capítulo e estou esperando que este advogado consiga resolver o caso da Marcela.

Beijos.

Jessica - Ciana disse...

heheheheh éééé o clima ta surgindo mas será q vai rolar algo??

Beijos querida!

Jessica - Ciana disse...

huhsaushuausha calma mulher! kkk tudo ao seu tempo rs ~~~será q ele vai chegar a aparecer mesmo?

vamos ver né rs ~~ Beijãoo!!

Jessica - Ciana disse...

que bom que adorou, querida!
vamos ver no que essa trama vai rolar rs