(◡‿◡✿) Capítulo 5.

Helena levou um grande susto quando viu um homem surgindo do canto escuro do salão - Eu vou chamar a polícia!!!!
-Por favor não faça isso! - pediu ele - Me perdoe!!! A chuva estava muito forte e eu ia molhar meus documentos! Por favor, eu sinto muito, não queria assustá-la! A porta estava semi-aberta e eu não pensei duas vezes em me esconder  da chuva aqui.
-O que... Eu não acredito em você! - rosnou ela, nervosa e com medo de que fosse um ladrão.
-Estou falando a verdade!
Então ela parou para analisá-lo... Um ladrão não estaria usando um terno tão elegante, e nem teria uma aparência tão.... limpa. Helena respirou fundo, e deixou-se acalmar pelo susto - Me desculpe, eu não queria ser tão rude, mas eu acabei de me mudar pra esta cidade então, não conheço bem os moradores e achei que fosse um ladrão, me desculpe.
Ele suspirou aliviado - Imagina, a senhora esta certa em tentar se proteger e proteger seu estabelecimento, eu sei que agi de forma errada, mas os documentos de minha pasta são muito importantes e não poderiam mesmo serem danificados pela chuva.
-Você esta todo molhado! Eu vou pegar uma toalha - disse ela, mas ele a interrompeu - Não, de forma alguma, eu vou ficar bem, não há necessidade.
-Mas você vai acabar pegando uma gripe!!
-Esta tudo bem, eu não quero dar nenhum trabalho à senhora.
-Então sente-se, vou lhe servir um café quentinho - disse ela, tentando ser gentil.
-Por favor eu não q... - ela o interrompeu puxando uma cadeira - Eu insisto, por favor, não me faça uma desfeita!
-Esta bem... - ele sentou-se, sentido-se um tanto constrangido e incomodado...
-Então, o que o senhor faz da vida? - perguntou enquanto preparava um delicioso café.
-Eu sou advogado.
-Que interessante! E o senhor atua nesta profissão há muito tempo?
-Na verdade sim, meus pais diziam que eu era um prodígio... Comecei a estudar e me formei aos vinte e cindo, e logo já arranjei um bom emprego, isso faz uns onze anos.
-Nossa! É um bom tempo mesmo! Aqui esta, prontinho! Espero que goste - sorriu.
-Obrigado - ele pegou o café delicadamente, e quando sorveu o primeiro gole, sentiu seu rosto esquentar, e quase delirou com o doce sabor daquela bebida tão surpreendentemente saborosa - Isso esta muito bom! A senhora tem um dom! - exclamou.
-Ora obrigada - corou - Modéstia parte, eu amo fazer café e faço isso muito bem e com muito carinho.
Ele estava quase terminando a bebida, quando ela abriu o estoque e ofereceu um brownie de chocolate - Aqui, sirva-se por favor.
-Não não, eu não quero abusar da gentileza da senhora!
-Mas é somente um agrado, o senhor deve estar com fome!
Ele recusou - por favor, não precisa se incomodar. Eu agradeço pelo café, quanto custa?
-Ora eu não vou cobrar, é por conta da casa!
-Então eu agradeço ainda mais pela sua generosidade com um estranho, mas sinto muito, eu realmente preciso ir agora que a chuva parou.
Helena não escondeu sua tristeza, ela de fato ela estava gostando da companhia dele, mesmo que fosse um estranho - Tudo bem, então.... até - disse sem jeito.
Ele despediu-se com um aperto de mãos e desapareceu. Helena ficou ali parada, como se estivesse hipnotizada... Ela tinha ficado encantada com aquele advogado, de fato ele era muito educado e parecia ser realmente um homem sério e trabalhador. E como ela não conheceu muitos homens em sua vida, ele parecia ser totalmente diferente do único homem que já a teve em seus braços...
Quando deu por perceber, estava sorrindo como uma boba... - eu devo estar ficando mesmo maluca.... nunca que alguém tão distinto como ele se interessaria por mim - balançou a cabeça como querendo espantar a lembrança daquele desconhecido, e decidiu pegar o brownie que ele recusou e comê-lo, afinal, ela adorava suas saborosas sobremesas.
Enquanto isso, Marcela e Luizinho passeavam pela cidade - obrigado por passar em casa pra eu tomar um banho e me trocar, ficou frio de repente!
-É verdade, esse tempo ta meio louco, apesar que outono vem ai, e vai esfriar mais... Mas mudando de assunto, nossa, eu tinha tanta saudade desse lugar! - dizia ela - Sempre odiei morar na cidade grande... Aqui é tudo tão calmo e tranquilo!
-É, eu sempre amei minha cidade! - disse ele - Agora ela tem tudo o que eu preciso.
Marcela sentiu seu coração vibrar ao ouvir aquilo! "Com certeza ele estava falando dela!" pensava cheia de esperanças....
-Veja! - exclamou ela - Estão fazendo um evento no parque! Vamos lá?
-Mas já anoiteceu, devem estar fechando!
-Quem liga? Você não gosta de... aventuras???

4 comentários:

Cássia disse...

Aventuras noturnas em um carro são sempre delirantes! Luizinho, essa é a deixa para você beijá-la. Ou algo mais...
Adorei o advogado, embora acreditasse que fosse um certo ex-marido. Mas tudo bem.
Ele parece ser um ótimo homem. Quem sabe dois romances não tenham começado neste dia.

xoxo

Juliana Estefane disse...

Adorei o advogado, gentil e super educado!
Confesso que também achei que era o ex-marido de dona Helena.
E quem sabe não aconteça algo a mais, falo no sentido romance, com Marcela e Luizinho?!

Beijos da Ju

Jessica - Ciana disse...

Aventuras noturnas, adooooooro kkkkk
Que bom que gostou do advogado, ele é um gato *-*)~~

Um beijaaoo

Jessica - Ciana disse...

O advogado modestia parte é outro deus grego né kkkkk
Será que Marcela e Luizinho vão se envolver??? rsrsrs

Beijinhos!!!