(◡‿◡✿) Capítulo 8.

Depois daquele escândalo, Helena tinha perdido o chão. Nunca imaginou que viveria para ver sua filha ser presa! A cena de horror ao vê-la sendo levada para um carro de polícia era atormentadora. O que ela iria fazer agora sem sua filha? E pra ajudar, ainda tinham acabado de discutir e nem conseguiram dar um abraço amoroso antes da despedida dolorosa...
Ela correu para dentro de casa, pegou o telefone e ligou desesperada para Eulália - Fique calma minha filha, fique calma! - dizia ela depois de ouvir toda a história - não adianta entrar em desespero, ele não vai te levar a lugar nenhum! Vou ligar para um advogado! Já estou indo ai - desligou.
Helena foi escorregando encostada na parede, enquanto se derretia em lágrimas - Ah Marcela.... porque, minha filha... porque.....
Passados exatos vinte e cinco minutos depois da ligação, Eulália aparece. As duas se perderam num abraço, desta vez muito triste - Eu não posso acreditar que isto esteja acontecendo!
-Calma minha filha, vai passar, você vai ver. Nós vamos conseguir tirá-la de lá.
-As vezes ela é tão rebelde! Faz as coisas sem pensar nas consequências! Como posso ficar calma?
-Helena! - exclamou ela - Entrar em pânico não ajuda! É doloroso? É claro que é! Mas surtar não vai tirar nossa menina da cadeia! Ela vai fazer dezenove anos, pode muito bem ser presa. Precisamos agir e agir com calma! Eu liguei para um advogado, ele irá nos encontrar amanhã na delegacia. Agora fique firme e tente descansar, você vai precisar estar forte amanhã!
Eulália sempre foi uma mulher muito forte e decidida, e Helena a admirava muito por isso. Nunca teve a garra e a força que sua mãe tinha, de enfrentar as coisas com coragem e sem medo das consequências. Sua fibra e confiança ao falar, deixava ela um pouco mais tranquila, porque sabia que sua mãe lutaria com unhas e dentes para tirar Marcela da cadeia - Esta bem mamãe, eu estou melhor, obrigada por estar comigo, eu queria ter a força que a senhora tem.
-Pois ela esta toda ai dentro de você - disse Eulália - você só ainda não teve coragem o suficiente pra colocá-la pra fora. Mas eu sei que você vai conseguir, afinal, você é minha filha, não é?!
As duas se abraçaram novamente, e ela acompanhou Helena até o quarto, elas deitaram na cama e Eulália acolheu Helena como um bebê em seu colo, fazendo carinho em sua cabeça até ela dormir, como fazia quando era criança.
Helena estava tão cansada que fechou os olhos e desligou-se, quando os abriu já era manhã e Eulália a esperava na cozinha.
-Bom dia mãe - murmurou num desânimo imenso.
-Bom dia filha, aqui, tome esse café que eu fiz pra você, e se arrume, daqui uma hora teremos que ir até a delegacia.
Essa palavra causava calafrios em Helena, só e lembrar de toda aquela cena, já sentia seu estômago contorcer e uma dor profunda no coração. Mas ela não tinha escolha, não poderia fugir disso como se fosse apenas um pesadelo, tomou seu café e subiu para se arrumar.
Faltando meia hora para o encontro na delegacia, as duas já estavam lá, na expectativa. Helena estava tensa, orava em silêncio para que Deus iluminasse este advogado que sua mãe chamara, para dar tudo de si pela liberdade de Marcela.
Logo, um homem surgiu da entrada e se aproximou, cumprimentando-as - Bom dia senhoras.
Helena estava de costa, e ao virar-se, deu de cara com o homem que havia invadido seu café momentos atrás - ei, você?! - exclamou ela, muito surpresa.
-Já se conhecem? - perguntou Eulália.
Ele surpreendeu-se - Sim, nos conhecemos sim.
-De uma forma bastante diferente, eu diria - concluiu Helena, num certo sorrisinho tímido.
-Me desculpe por aquele incidente - disse ele - Eu não me apresentei corretamente, meu nome é Luiz Fernando Nuñez.
-Helena Flanco, o prazer é meu. - os dois balançaram as cabeças num cumprimento formal, e ele puxou o assunto - A suspeita é o que de vocês?.
-É minha filha - disse Helena - Por favor, o senhor fará todo possível para tirá-la daqui?
-Sim, farei tudo o que puder, vou falar com o delegado para analisar o caso dela, e vou pedir para que deixem vê-la - ele deu uns passos, falou com um policial da bancada, e este sorriu e chamou o delegado.
Minutos depois da conversa, ele voltou até elas - vocês podem vê-la, sigam por aquele corredor e virem a direita, tem um policial lá à espera de vocês. Elas agradeceram imensamente e seguiram até a sala onde Marcela estava.
Ao vê-las entrar, ela não soube o que fazer com tanta emoção que invadia o seu ser, saiu da pequena cama e correu para abraçá-las - Mãe!!! Vó! Não acredito que estão aqui! Me perdoem por tudo, me perdoem!!!
Helena mal conseguia responder, apenas a abraçava com força e chorava muito, Eulália também havia se emocionado, as três choravam, contentes por estarem juntas e aflitas pela situação que se encontravam...
-Esta tudo bem minha filha  - disse Helena, finalmente conseguindo expressar algo que não fossem lágrimas - Vai dar tudo certo, arranjamos um ótimo advogado! Eles vai nos ajudar a tirar você daqui logo.
Elas continuaram abraçadas até o policial entrar e pedir para que saíssem, pois o horário de visitas havia acabado.
Voltando a encontrar-se com o advogado, ele explicou tudo sobre o caso de Marcela, e pediu para que voltassem para casa e assim que tivesse notícias, ele as avisaria.

9 comentários:

Cássia disse...

Porque toda vez que eu suspeito ser o capítulo em que um certo pai/marido vai aparecer, quem aparece é o advogado delícia???? O.o
Tô com peninha da Marcela. Viu o que acontece quando você tenta impressionar um garoto da maneira errada!? E por falar nisso, ele deveria estar aí também. u.u
Só acho...

Camila disse...

Eu estou acompanhando a história e estou gostando muito.
Tomara que a Marcela saia logo da cadeia.
E esse advogado , já se encontraram duas vezes...será que vai acontecer alguma coisa?

Lalilas disse...

Vish, tadinha da Marcela, ela fez cagada, mas ah, tadinha da Marcela. kjasnfjkishfoilç
Espero que esse advogado belezura consiga tirar ela daí o mais rápido possível.

Juliana Estefane disse...

Cade o Luizinho uma hora dessas em? Acho que ele devia ta ai!
Mais falando em Luiz, misericórdia nesse dai muito beautiful!! u.u
Torcendo para que Marcela saia o mais rápido dessa cadeia.

Beijos da Ju

Nick disse...

Também estou acompanhando a historia e estou gostando muito ❤ minha parte preferida foi quando a Marcela pegou o balão kkkkk espero que ela saia logo da cadeia :C

sem querer mais mudando de historia.. continua a historia Memorias de Inverno :CC mesmo sem imagens, gostei muito dela, é uma otima historia com otimas imagens, voce é uma excelente escritora,logo logo voce consegue inspiração pra terminar a Memorias de Inverno =/

Lalilas disse...

THIS. /\

Layla disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Layla disse...

Fiquei com pena da Marcela. Eu acho que o Luizinho devia estar aí.E esse advogado hein...

Jessica - Ciana disse...

nossa, quanta gente hoje!!!! hhehhee
Bom, este comentário é pra agradecer a todos pela visitinha no blog e por estarem gostando muito!

Obrigada a todos.... e quem sabe eu ache inspiração pra terminar memórias d inverno né, com fotos e tudo =) ~~ beijao!