(◡‿◡✿) Capítulo 18.


Marcela estava tensa, faltavam apenas trinta minutos para chegar no seu caso... Ela aguardava do outro lado da porta, acompanhada de um policial, até chamarem sua vez.
Por sorte, quem a acompanhava era Érick - Vai dar tudo certo, não fique tão nervosa - disse ele.
-Como sabe que estou nervosa?
-E conheço a reação das pessoas... Você esta nervosa, vejo isso na expressão dos seus olhos.
-Eu vou entrar já já e ainda não vi minha família, nem meu advogado. Será que eles não vem?
-Não pense uma besteira dessas. Eles devem estar chegando, talvez seu advogado já até esteja aqui.
Nisso, Luiz Fernando surge no corredor - Boa tarde a todos, desculpem a demora.
-E então doutor, você vai conseguir me tirar daqui, certo?
-Vou fazer o que me couber.
-Você viu minha família ai?
-Sim, sua mãe e sua avó estão sentadas lá dentro esperando nossa seção começar.
Eles ficaram esperando, até que seu nome foi chamado pelo juiz.
Lá, seu crime foi apresentado, e Luiz Fernando apresentou sua defesa.

O promotor também fez várias contestações, e apresentou as testemunhas. Luizinho foi chamado para relatar o que tinha visto acontecer. Contou com detalhes o que havia contado ao advogado, ele suava frio e suas mãos estavam trêmulas. Depois de muito enrola e desenrola, o juiz deu seu veredicto final - A réu Marcela Pedroso Flanco será sentenciada a cumprir dois meses de trabalho comunitário no hospital de Nossa Compadecida. Assim cumprida esta estará livre, caso faltar um dia, este deverá ser explicado ou terá sua sentença rejeitada e prisão de seis meses.
Marcela não se continha de alegria. Graças a Deus ela estava livre daquele inferno! Correu para abraçar a mãe e a avó. Luizinho também a abraçou, ele estava feliz por ela ter saído dali, assim Helena estaria feliz também. Logo Fernando chegou, e todos o cumprimentaram e parabenizaram pelo excelente trabalho feito na defesa dela - Eu só fiz o meu trabalho, vocês mereceram cada esforço.
-Obrigada mesmo doutor Fernando!!!! - exclamou Marcela, não se contendo de felicidade. Érick se aproximou - Parabéns Marcela! Agora você poderá curtir sua liberdade tão desejada.
-Sim é verdade! Obrigada Érick por ter sido tão gentil comigo durante esses dias.
-Não fiz mais do que minha obrigação - sorriu - É uma pena que não vou te ver mais por aqui.
Ela riu - Graças a Deus!!!!
-Você poderia me passar seu telefone? Talvez poderíamos nos encontrar longe de uma delegacia, só pra variar.
Marcela não queria nenhum relacionamento com um policial, não queria nem saber de ouvir essa palavra. Mas como Luizinho estava perto, ela quis fazer ciúme, e passou o telefone - me liga - disse ela, dando uma piscadinha.
-Pessoal! - disse Eulália - Hoje é um dia que merece ser comemorado! Vamos todos fazer um grande jantar!
-Você também esta convidado para vir - disse Helena, dirigindo-se à Fernando, que sorriu lisonjeado.
Luizinho logo se prontificou - e eu também posso ir, né vó???
Eulália sorriu - É claro meu filho, você também! Ei Marcela, chame esse rapaz gentil para vir conosco!
-É verdade - disse Helena - se minha filha diz que você a tratou bem, merece vir na nossa comemoração! Seria um prazer ter  alguém da lei em nossa casa, que não fosse para prender alguém - brincou.
-Desculpem, eu adoraria fazer parte de tal ocasião, mas ainda estou em horário de serviço - disse Érick. Ele despediu-se de todos com um aceno de mão e voltou para seu posto.
Todos foram para a casa de Helena, Eulália e Helena foram no carro de Fernando, e Marcela foi no carro de Luizinho. Enquanto todos entravam, Marcela segurou na mão de Luizinho e disse - Eu não tive tempo de dizer o quanto você ficou bonito, no dia que veio me visitar.
-Obrigado - ele respondeu secamente, como se mal tivesse ouvido. Seus olhos são desgrudavam de Helena, ele estava preocupado demais com a presença de Fernando para prestar atenção em qualquer outra coisa. Entrou após o elogio deixando Marcela sozinha na porta - porque ele esta assim, o que houve? - pensou ficando triste.
Entrou cabisbaixa, nem chegou a ir na cozinha onde todos estavam, subiu direto para o seu quarto. Tirou aquela roupa que era a de quando havia sido presa, que tinha ficado guardada na delegacia até que fosse solta. Parou na frente do espelho... - como estou feia... Esse tempo que passei na delegacia me deixou acabada, mesmo livre não me sinto feliz... Talvez seja minha aparência horrível que esta repelindo Luizinho. Eu preciso ficar mais bonita!

4 comentários:

Layla disse...

Ahhh que bom que a Marcela está livre !!!! A Marcela também precisa parar de correr atrás no Luizinho , ele não vale nada e ainda por cima gosta da mãe dela !

Isabella Arruda disse...

Vc arrasa! Serio! rs suas historias são perfeitas! Nãao vejo a hora da marcela se tocar e ir atrás de um certo policial! heheheheh Ah uma sugestão, pq vc não coloca musicas pra acompanhar o capitulo? Aguardando o próximo capitulo! Bjs

Ps: Desejo melhoras ao seu avo!

Jessica - Ciana disse...

Aaaa obrigada!!!!
Nuss não sabe a felicidade que me enche ver esses comentarios hehehe

Pois eh, eu sempre coloco trilhas sonoras nas minhas histórias, não sei porque não coloquei nessa rs ~~ mas enfim, a próxima terá *-*)~~

Meu avô vai melhorando a cada dia, graças a Deus!!
Um super abraço!!!

Jessica - Ciana disse...

Siiim todo mundo tava doida pra ver esse dia chegar, né? xD
Vamos ver no que dá esse rolo dos dois rs

Beijão!